Experiência comprovada: o que esperar de Eduardo de Teixeira no Náutico?

Por: Felipe Holanda, Ivan Mota e Mateus Schuler

Problemas físicos à parte – não atua há mais de um ano –, Eduardo Teixeira chega ao Náutico com pompa de reforço. O meia de 28 anos tem experiência no futebol europeu e pode editar boa dupla de canhotos ao lado de Jean Carlos no meio de campo alvirrubro; acordo entre o Timbu e o Braga-POR tem validade até junho de 2022, com opção de renovação.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha o que esperar do reforço da Rosa e Silva, com principais características táticas, números na carreira, relatórios de ações por jogo, e como Teixeira pode se encaixar no time de Hélio dos Anjos.

O QUE ESPERAR TATICAMENTE

Meia canhoto, Eduardo Teixeira tem a parte técnica como principal qualidade. Defendendo o Xanthi-GRE, seu último cube, atuava por dentro, organizando o jogo e procurando servir os companheiros. Neste cenário, se destacou em assistências e passes chave, acumulando um passe para gol no clube grego.

Passes para finalizações de Eduardo Teixeira

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

O atleta costuma ser versátil para atuar em mais de uma função no meio de campo. No caso do 4-2-4 – sistema que vem sendo utilizando exaustivamente com Hélio dos Anjos -, Eduardo pode cair pela esquerda para confundir a marcação adversária e abrir espaços por dentro, rasgando as linhas de defesa.

Teixeira armando o cruzamento (Imagem: Novasports)

A versatilidade no meio-campo faz Teixeira deve Hélio. Na última Série B, o treinador teve de usar o 4-3-3 em algumas oportunidades, com o meio-campista ficando mais recuado ao lado de Rhaldney, deixando Djavan fixo na cabeça de área; Jean Carlos e Ewandro seriam os pontas nessa configuração. Desse modo, seria o dono da posição deixada por Matheus Jesus, que terminou a temporada como titular, já que os demais companheiros de posição não renderam.

Possível 4-3-3 com Eduardo (Feito no Tactical Pad)

Caso o comandante do Timbu opte por seguir no 4-2-3-1, que o consagrou campeão pernambucano e teve bom início de Segundona, Eduardo seria o extremo esquerdo. Além de já ter atuado no setor, teria outros dois canhotos como companheiros na armação alvirrubra, tendo o camisa 10 mais centralizado; Ewandro, no entanto, cairia pelo outro lado, cabendo a todos o papel de municiar Álvaro e dar velocidade ao ataque – Kieza ainda segue se recuperando de cirurgia no tendão de Aquiles.

Mais uma opção para Hélio amar o time (Feito no Tactical Pad)

Atuando pelo Estoril, teve maior a minutagem de sua carreira, pois foi a campo em 65 oportunidades. Lá, marcou três gols e deu cinco assistências, com maior destaque para a temporada 2017/18; atuou em 31 partidas, sendo titular em 20 delas.

Assistências de Eduardo Teixeira

No Xanthi, da Grécia, não conseguiu repetir os números de outrora, mas foi onde jogou pela última vez. Pelos gregos, deixou sua marca quatro vezes, além de ser garçom em um único momento; não é relacionado para um jogo desde 13 de junho de 2020, quando foi acionado como centroavante na derrota por 1×0 para o Volos, no play-out de rebaixamento defendendo os Akrítes.

QUEM É EDUARDO TEIXEIRA

Muita experiência nacional e internacional. Natural de Fortaleza, Eduardo Teixeira, de 28 anos, iniciou sua trajetória no próprio Tricolor do Pici, onde atuou pelas categorias de base, mas nunca teve tanto espaço na equipe principal. Sua rodagem em alto nível começou em 2013. Após se transferir para o Fluminense, onde também atuou pelo time sub-20. Eduardo disputou dez partidas pelo Campeonato Brasileiro da Série A e oito na Copa do Brasil, com um total de três gols marcados.

Após deixar o time carioca, o meia retornou para sua cidade natal, mas dessa vez para defender as cores do Ceará. No Vozão, disputou 40 partidas na temporada 2014, por Copa do Brasil e Série B. Foram quatro gols marcados nesse período. Antes de iniciar sua jornada europeia, ainda atuou por Joinville, onde apenas disputou o estadual, Bahia, onde teve boa rodagem na segunda divisão nacional e América-MG.

Dois anos mais tarde, em 2016, desembarcou em Portugal para atuar no Estoril. Por lá, disputou mais de 49 jogos, sua grande maioria na primeira divisão portuguesa, durante as temporadas 2016/2017 e 2017/2018, com três gols e três assistências. Ainda em terras lusitanas, chamou a atenção do Braga, que desembolsou 1,8 milhões de euros (atualmente cerca de 8 milhões de reais) para realizar a contratação, mas não obteve o mesmo sucesso, com pouquíssimos jogos e uma relação conturbada com o clube. Ele acabou sendo emprestado ao Xanthi, da Grécia, onde também atuou em poucas oportunidades.

Gols de Eduardo Teixeira

Arte principal: Felipe Holanda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: