Barba, cabelo e bigode: análise Sete de Setembro 0 x 3 Náutico

Por: Felipe Holanda e Mateus Schuler

Três “lobos” numa cajadada só. Sem fazer força, o Náutico bateu o Sete de Setembro por 3 x 0 nesta terça-feira (1º) na Arena de Pernambuco, manteve os 100% de aproveitamento, e voltou à liderança do Campeonato Pernambucano Betsson 2022, ainda que provisoriamente; os gols do Timbu foram marcados por Júnior Tavares, Carpina e Ewandro em confronto pela segunda rodada.

Os alvirrubros até foram a campo mantidos no 4-2-3-1 de praxe, mas com a equipe titular possuindo três novidades. As primeiras geraram duas mexidas na linha de defesa, tendo a presença de Thássio na vaga de Hereda como o lateral-direito e Rafael Ribeiro retornando no lugar de Carlão, que iniciou nos 11 ante o Sport pela Copa do Nordeste; no meio-campo, Djavan foi poupado e Richard Franco fez a estreia começando de frente.

Timba teve manutenção do sistema tático mesmo modificado (Feito no Tactical Pad)

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

COMO FOI

O Náutico começou a partida demonstrando muita intensidade no ataque e foi para cima, buscando explorar a fragilidade do Sete de Setembro. Logo no primeiro minuto, Silvio Carrasco saiu jogando errado após Carpina fazer uma pressão, servindo Leandro Carvalho de imediato; o camisa 11, livre, chutou de primeira direto para fora.

Postado no 3-4-3 no início do jogo, o Timbu não tomou conhecimento e teve outra nova oportunidade, mas novamente desperdiçada. Leandro Carvalho alçou na pequena área e Ewandro encostou na entrada da pequena área no pé de Carpina, que emendou um belo chute e a finalização acabou indo pela linha de fundo.

Equipe da Rosa e Silva demonstrou muita presença ofensiva (Imagem: Premiere)

Se a pontaria era problema em jogadas trabalhadas, a alternativa ao Timba foi a bola parada: Júnior Tavares cobrou falta aproveitando falha de Saulo no posicionamento e abriu o placar. Pouco depois, Júnior Tavares – que acabou substituído por Luan em sequência com dores nas costas – levantou na área e a zaga tirou mal, porém Rhaldney pegou a sobra dominando e bateu para boa defesa do goleiro alviverde; Leandro Carvalho cruzou escanteio fechado, ninguém afastou e Richard Franco, de carrinho, completou desperdiçando a chance.

Pouco exigido quando não tinha a posse, o time alvirrubro se fechou no 4-2-3-1 de base, fazendo os setembrinos ficarem cada vez mais retraídos em seu próprio campo. Assim, a vantagem foi ampliada antes mesmo do intervalo: o jovem meia Carpina pegou o rebote de tiro esquinado de Leandro Carvalho que a defesa afastou, dominou e arrematou colocada no canto esquerdo.

Sistema de marcação neutralizou investidas do Lobo-Guará (Imagem: Premiere)

Para o segundo tempo, o Sete até voltou com mais coragem para atacar, no entanto o Náutico manteve a mesma intensidade no setor ofensivo. Leandro Carvalho fez jogada individual pela esquerda e foi derrubado por Fabinho na pequena área; Ewandro bateu bem seguro, deslocando o camisa 1 do Lobo-Guará, e ampliou o marcador.

Com a larga vantagem no placar, Hélio dos Anjos passou a dar minutagem a alguns jogadores para rodar o elenco e testar novas possibilidades, o que fez Kieza e Pedro Vitor entrarem nos lugares que estavam ocupadas por Robinho e Leandro Carvalho, respectivamente; dessa maneira, a equipe voltou a ficar no 4-2-3-1 ao ter a bola.

Timbu voltou a formar o sistema-base com amplitude dos laterais (Imagem: Premiere)

Logo na primeira participação em campo, Pedro Vitor cobrou falta de longe e Neneka – acionado na vaga de Saulo, com dores na coxa – afastou o perigo. Apesar de ter a posse, o Timbu não conseguiu ser criativo e pouco assustou o time garanhuense, que começou a sair mais para tentar seu tento de honra. Numa das chances criadas, Nego de Brejão arriscou de fora da área e Lucas Perri interveio; na sobra, Souza tentou completar para o gol, mas o lance foi paralisado por impedimento.

O susto gerou reclamações do comandante alvirrubro, que exigiu melhoras e correção dos erros cometidos. As cobranças só vieram surtir efeito no fim do confronto, quando a última grande oportunidade foi criada: Pedro Vitor deu o lançamento preciso para Kieza, que saiu por trás da marcação e bateu para fora, desperdiçando-a.

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: