Sport no Campeonato Pernambucano: como joga taticamente o Retrô

Por: Mateus Schuler

Pela manutenção da pontaria. Vindo de dez gols marcados em dois jogos, o Sport enfrenta o Retrô para manter a boa fase do ataque mesmo após saídas de Mikael e Gustavo. Duelo está marcado para esta quarta-feira (2) às 20h30, na Arena de Pernambuco, válido pela segunda rodada do Campeonato Pernambucano Betsson 2022.

Separamos tudo sobre o próximo adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, jogadores para ficar de olho, e muito mais da Fênix.

O TIME

Para o confronto, que vale a liderança junto ao Náutico, Dico Wooley não deu indicações de alterações na equipe, mas há a possibilidade de duas mexidas no setor ofensivo. Com a manutenção do 4-3-3, já tradicional do DNA Retrô, o comandante deve acionar João Guilherme e Rodrigo Fumaça nos lugares de Gustavo Ermel e Radsley, respectivamente, o que ocorreu inclusive durante a pré-temporada.

Time azulino deve manter sistema tático diante do Leão (Feito no Tactical Pad)

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

COMO ATACA

A filosofia de trabalho do Retrô vem se mantendo desde 2019, quando fez sua primeira participação na Série A-2 do Estadual e terminou vice-campeão. Os azulinos vem mantendo o 4-3-3 com a posse, mostrando muita intensidade no campo ofensivo e tendo apenas a dupla de zaga atrás do meio-campo – apesar de ultrapassar em alguns momentos.

Laterais buscam dar amplitude para ajudar na criação de jogadas (Imagem: TV FPF)

Com essa postura, os laterais ganham liberdade para povoarem o ataque e ajudarem os meio-campistas no setor de criação, dando amplitude e tendo constantes infiltrações. Fortes nos cruzamentos, os atletas que caem de lado fazem jogo apoiado junto aos meias e/ou pontas, a depender de como seja a marcação adversária.

Primeiro volante, Charles cai como terceiro zagueiro para uma saída de 3 (Imagem: TV FPF)

Outra possibilidade que os comandados de Dico Wooley podem fazer ao ter a bola é um 3-4-3. Desse modo, o primeiro volante forma uma saída de 3 ao lado dos zagueiros, deixando os demais companheiros mais adiantados e os rivais confusos, já que pode haver ainda ligação direta da defesa ao ataque, podendo ficar ainda num 3-2-5.

COMO DEFENDE

A fase defensiva é outra que não tem sofrido tantas modificações desde a A-2. Quando não tem a bola, a equipe retroense tem feito duas variações com maior frequência, ambas tentando fechar o máximo de espaços para evitar infiltrações dos adversários, tanto pelos lados como pelo meio, tendo assim a formação de blocos médios.

Se antes o mais comum era o 4-1-4-1, agora os azulinos até mantêm as duas linhas de 4, porém dessa vez performam no 4-4-2. Assim, sobem os blocos e deixam médio/altos, tentando recuperar a posse de imediato e colocando os jogadores da beirada ao lado dos meio-campistas, enquanto o meia menos marcador se junta ao centroavante.

Blocos se adiantam para poder pressionar melhor o adversário (Imagem: TV FPF)

Outra opção, mas menos frequente, é o 4-3-3 de base. Isso faz os volantes se revezarem na segunda linha de marcação, ora jogando por dentro, ora indo por fora, tentando assim fazer dobradinha com os laterais ou reforçar o meio para evitar passes na entrelinha. Assim, os jogadores mais adiantados têm a opção de marcar em menor intensidade.

Uma das variações defensivas do time de Camaragibe (Imagem: TV FPF)

PARA FICAR DE OLHO

Augusto Potiguar (LD) – Contratado pelo Retrô após ser bastante criticado no Santa Cruz, o lateral-direito tem conseguido mostrar bom futebol com a camisa da Fênix. Forte na bola parada e nos cruzamentos, tem sido uma das peças mais importantes na criação de jogadas, sendo titular praticamente absoluto desde a chegada.

Charles (VOL) – Outro ex-jogador da Cobra Coral, o volante é a peça que faz a transição ofensiva com maior qualidade, pois sempre ajuda os zagueiros e liga aos demais meio-campistas. Além de ser importante na marcação e na parte ofensiva, tem qualidade na bola parada, principalmente em cobranças de falta de longa distância, tendo um chute muito forte.

Renato (MEI) – Velho conhecido do futebol pernambucano. Criado na base do Náutico, já passou com destaque por Salgueiro e Decisão, além de ser a principal referência ofensiva dos azulinos. Meia-atacante, pode atuar tanto no meio-campo como mais à frente, tendo a finalização – de curta ou média distância – como principal característica; marcou o primeiro gol do time na vitória sobre o Vera Cruz.

Créditos da foto principal: Marcelo Trajano/Retrô FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: