Santa Cruz no Campeonato Pernambucano: como joga taticamente o Afogados

Por: Ivan Mota

Nesta data querida. No dia que completa 108 anos, o Santa Cruz recebe o Afogados em busca da segunda vitória seguida para se manter em ascensão no Campeonato Pernambucano Betsson 2022. Duelo, atrasado da primeira rodada do Estadual, acontece nesta quinta-feira (3) às 20h30, no Arruda, com portões fechados.

Separamos tudo sobre o próximo adversário tricolor: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, jogadores para ficar de olho, e muito mais da Coruja.

O TIME

Após estrear com um decepcionante empate contra o Vera Cruz, a equipe de Sérgio China terá um duelo difícil contra a Cobra Coral, precisando de um bom resultado para compensar os pontos perdidos. As novidades do time podem ser o zagueiro Dacais na vaga de Cristiano, Rômulo na dupla de volantes no lugar de Iago, que não foi bem no último jogo, e o prata da casa Felipe substituindo Erivan.

Provável formação inicial da Coruja (Feito no Tactical Pad)

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

COMO ATACA

Os gols na partida de estreia contra o Vera Cruz demoraram para acontecer, mas no decorrer da partida o Afogados conseguiu criar algumas boas chances. O time avançava no seu esquema base, o 4-2-3-1, porém, com algumas variações de posicionamento. O lateral-direito Állefe, um dos destaques do time, se movimentou bastante e com liberdade para flutuar entre sua posição de origem, a ponta direita e até mesmo como volante.

Postura afogadense no terço final (Imagem: TV FPF)

A bola parada também pode ser uma arma perigosa. O primeiro gol do jogo contra o Galo das Tabocas surgiu após uma cobrança de falta do lateral esquerdo Mattheus, que encontrou o zagueiro Airton Júnior livre na área adversária. Parceiro de Mattheus nas alas, Állefe também é um dos responsáveis pelas bolas alçadas na área e merece bastante atenção neste quesito.

“Desde o começo da pré-temporada, Breninho é o destaque. Wellignton Nunes não foi muito bem, mas deve ser mantido no ataque, já que Sergio China o segurou em campo praticamente durante todo o jogo contra o Vera Cruz. Se for para colocar o time que deu certo, Felipe, jogador prata da casa, assumirá a vaga de Erivan.”

Marcony Pereira, repórter na Pajeú FM

COMO DEFENDE

Se o jogo aéreo ofensivo vai fazendo sucesso, não se pode dizer o mesmo do defensivo. Os dois gols sofridos no último jogo aconteceram em jogadas desse tipo. Sérgio China precisa realizar ajustes nesse fundamento para evitar que mais erros sejam cometidos. Com a bola rolando, o time costuma seguir no 4-2-3-1 quando se defende, com Iago e Lucas Silva jogando próximos da primeira linha.

Outra variação defensiva, que deve ser mais utilizada no duelo contra o Santa Cruz, pode fazer o time se fechar mais, se postando num 4-5-1 para diminuir os caminhos do ataque adversário. Neste cenário, os homens mais avançados também participam da marcação, com os pontas e o meia mais ofensivo se juntando aos volantes na linha de cinco do meio de campo.

Tricolor do Pajeú se fechando no 4-5-1 (Imagem: TV FPF)

“O time vem treinando e jogando com o mesmo quarteto defensivo, além do goleiro Jonathan. A dupla de zaga bateu cabeça algumas vezes contra o Vera Cruz, mesmo assim devem ser mantidos os titulares. Dacais e Willian Gaúcho podem surgir como alternativas para Cristiano”

Marcony Pereira, repórter na Pajeú FM

PARA FICAR DE OLHO

Állefe (LD) – Polivalente e ofensivo. O lateral-direito já era um dos destaques do time na pré-temporada e seguiu jogando bem no primeiro jogo do Estadual. Com muita velocidade, chega bastante ao ataque e é sempre uma boa opção, além de se movimentar bastante e ter uma boa finalização de média e longa distância.

Breninho (MEI) – Diferenciado. O camisa 10 da Coruja pode ser considerado o atleta mais técnico do elenco. Além de criar muitas chances, também chega muito bem dentro da área adversária, podendo fazer a função de centroavante. Foi o autor do gol de empate contra o Vera Cruz, quando recebeu a bola na grande área e finalizou como um atacante de origem.

Wellington Nunes (PD) – Velocista. O ponta direita pode ser um pesadelo para as defesas adversárias. Com muita velocidade e sem medo de driblar, o jogador de 23 anos criou boas chances diante do Vera, chegando a acertar o travessão. Ele também foi responsável por algumas faltas perigosas em seu setor, já que foi derrubado algumas vezes pelos defensores inimigos.

Créditos da foto principal: Cláudio Gomes/Afogados FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: