Vitória explosiva: análise Sport 1 x 0 Sousa

Por: Mateus Schuler

Como no big bang. Apesar de não conseguir empolgar, o Sport explodiu na hora certa e dizimou o Sousa nesta terça-feira (8) ao vencer por 1 x 0, na Ilha do Retiro pela terceira rodada da Copa do Nordeste. Gol heroico da vitória do Leão diante do Dinossauro foi marcado durante o segundo tempo, por Alanzinho.

Para o jogo, os leoninos foram a campo mantidos no 4-2-3-1 já tradicional de Gustavo Florentín, porém alterado em relação ao que iniciou no triunfo sobre o Vera Cruz. A linha defensiva até permaneceu a mesma que fechou o último duelo, contudo a cabeça de área foi composta por Ronaldo e Pedro Victor, assim como Everton Felipe voltou da covid substituindo Denner; Jáderson retornou aos 11 pela extrema direita.

Time da Praça da Bandeira sofreu alterações entre os titulares (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida começou em ritmo extremamente lento, com as duas equipes indo pouco ao ataque. Nem mesmo a presença da torcida e a alta posse de bola foram suficientes ao Sport, já que não era criativo, muito menos objetivo para atacar. Alternando entre 4-3-3 e 4-2-4 do meio para frente, o Leão até teve a imposição, mas não conseguiu levar perigo.

A única oportunidade no ataque veio após um lançamento, pois a formação de uma saída em 3+2 era insuficiente na criação das jogadas. Everton Felipe inverteu da esquerda para a direita no pé de Ewerthon, que surgiu por trás da marcação e saiu de frente ao goleiro Ricardo; o lateral-direito dominou mal e não aproveitou.

Jogando por dentro, Leão teve dificuldades para levar perigo ao Dino (Imagem: Nordeste FC)

Se ofensivamente os rubro-negros deixaram a desejar, sem assustar, o setor defensivo até vinha neutralizando as raras investidas do Sousa. Postados no 4-4-2 de blocos médios, os espaços até foram bem fechados para bloquear as infiltrações adversárias, fazendo a bola parada ser uma alternativa, o que deu certo: Esquerdinha cobrou escanteio fechado e Jô Boy desviou, parando em Maílson; na sobra, ele mesmo completou e novamente o goleiro impediu.

Para o segundo tempo, Florentín promoveu Blas Cáceres no lugar de Pedro Victor na tentativa de dinamizar mais o meio-campo e, assim, aumentar o poder criativo. A equipe da Praça da Bandeira até se impôs, contudo ainda não tinha criatividade suficiente para assustar a meta do Verdão, apesar de povoar o último terço.

Rubro-negros se postaram em duas linhas para neutralizar o Verdão (Imagem: Nordeste FC)

Vendo o time crescer, o comandante leonino fez mais duas substituições no intuito de aumentar a presença no ataque, performando assim num 4-2-4. Jáderson e Sander saíram para as entradas de Cristiano e Alanzinho, fazendo Juba ficar na lateral e deixando Alanzinho alternando entre beirada e meio. E deu certo.

Após grande jogada pela esquerda, Alanzinho arrancou em velocidade, fez a tabela com Juba – recebendo de calcanhar – e finalizou no alto, tirando bem do alcance de Ricardo. A vantagem parcial no placar deu mais tranquilidade ao treinador, que ainda colocou Ítalo na vaga de Everton Felipe, entretanto os pernambucanos valorizaram o resultado e conquistaram mais uma vitória.

Florentín deu maior intensidade ofensiva à equipe na etapa final (Imagem: Nordeste FC)

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: