Sport no Campeonato Pernambucano: como joga taticamente o Afogados

Por: Mateus Schuler

Coruja muda. Para tentar manter saudável a relação com a torcida, o Sport enfrenta o Afogados, que ainda não venceu no Campeonato Pernambucano Betsson 2022, em partida antecipada pela oitava rodada. Confronto do Leão contra os sertanejos será neste domingo (13), na Ilha do Retiro, às 17h.

Separamos tudo sobre o próximo adversário leonino: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Tricolor do Pajeú.

O TIME

Para o duelo contra os rubro-negros, Sérgio China sabe que precisa mudar o time, mas não sinaliza tantas mudanças drásticas após o empate diante do Íbis no meio de semana. Em relação à última escalação, a única certeza é de que o 4-2-3-1 se mantém, porém Jânio deve ser sacado da titularidade para a entrada de Felipe, pois não foi bem, enquanto o restante continua entre os 11.

Ainda há indefinição quanto à formação da zaga afogadense (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Apesar do ataque ainda não estar empolgando, o Afogados balançou a rede adversária por cinco vezes em três jogos, tendo média superior a um gol. Isso se deve à proposta do técnico Sérgio China, que se alterna constantemente; ora é propositiva, ora reativa, sendo uma equipe que aposta nas jogadas de lado de campo.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Time busca maior aproximação entre as peças na transição (Imagem: Premiere)

A tendência é que a criação afogadense inicie numa saída em 4+1, tendo os laterais ainda na fase defensiva junto aos zagueiros e apoiados em um dos volantes. Desse modo, a Coruja tenta progredir e formar o 4-3-3 quando tem a posse, deixando apenas a dupla de zaga atrás do círculo central, formando um triângulo com os meio-campistas.

Laterais são muito participativos na criação dos sertanejos (Imagem: Premiere)

“Mattheus é quem mais tem participado nas jogadas do setor ofensivo, já Állefe tem oscilado. Breninho é o principal nome no ataque, criando boas jogadas, porém sumiu diante do Íbis. Já Thauã e Felipe mostram mais velocidade, dando versatilidade do meio para frente”

Marcony Pereira, repórter na Pajeú FM

COMO DEFENDE

Defensivamente, contudo, os números são totalmente opostos, pois já foram oito gols sofridos, resultando em quase três por partida. Desses, cinco saíram na goleada diante do Santa Cruz, demonstrando assim a fragilidade do setor dos sertanejos; muito se deve pela constante alternância apresentada pelas posturas de China, já que não há um modelo fixo.

Tendência é a formação de uma linha de 5 para segurar leoninos (Imagem: TV FPF)

Para tentar a redução de danos, o comandante do Tricolor do Pajeú busca a formação de uma primeira linha de 5, alternando entre 5-3-2 e 5-4-1 sem a bola. Dessa maneira, a Coruja fica mais retraída, chamando o adversário ao seu campo, podendo variar ao 4-1-4-1, entretanto descendo ainda mais suas linhas e ficando em blocos baixos.

“O setor de marcação da Coruja vem oscilando bastante. Se a dupla de zaga vem mostrando certa regularidade, a cabeça de área está num momento diferente. Rômulo tem atuações mais apagadas, enquanto Lucas é como um vagalume: acendendo e apagando”

Marcony Pereira, repórter na Pajeú FM
Afogadenses buscam ter postura mais retrancada ao ficar sem a posse (Imagem: TV FPF)

PARA FICAR DE OLHO

Mattheus (LE) – Com passagem pela base do Internacional, fez sua carreira – curta até agora – no futebol cearense, tanto que veio do Guarany de Sobral. Apesar de Állefe ser mais ofensivo, é o lateral-esquerdo da Coruja que mais tem contribuído no ataque até o momento no Estadual; mesmo tendo ficado como reserva na última partida, já deu uma assistência.

Breninho (MEI) – Acumulando passagem pelo Fénix, do Uruguai, é o nome de maior destaque do setor ofensivo do Afogados. Podendo atuar nos dois lados do 4-2-3-1 ou pelo meio, faz a maioria das jogadas passarem pelos seus pés, sendo o cérebro da equipe; além disso, tem boa finalização e é muito veloz, o que já resultou em um gol.

Felipe (ATA) – Mesmo sendo meia de origem, é uma das alternativas usadas por China como homem de referência. Tendo a velocidade como a principal característica, não fica fixo na área, mostrando mobilidade para movimentar e confundir a marcação, abrindo espaços para infiltração dos companheiros na entrelinha adversária.

Créditos da foto principal: Cláudio Gomes/Afogados FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: