Juba de Leão: análise Bahia 2 x 3 Sport

Por: Mateus Schuler

Feroz. Com atuação inspiradíssima de Juba, o Leão mostrou maturidade em campo e conquistou uma vitória importante na Copa do Nordeste, sobre o Bahia, por 3 x 2 na Arena Fonte Nova. Neste sábado (5), o Sport bateu o Esquadrão em duelo pela 7ª rodada e ficou muito próximo da classificação ao mata-mata; o prata da casa abriu o placar, enquanto Naressi e Rodrigão, que foi assistido pelo camisa 46, fizeram os outros dois gols. Raí e Rodallega descontaram.

Para o confronto contra o Tricolor de Aço, os leoninos foram comandados por César Lucena, que assumiu interinamente após a saída de Gustavo Florentín. Voltando ao 4-2-3-1, com constantes flertes ao 4-3-3, o time não pôde ter as presenças de Blas, Everton Felipe e Sander, todos no departamento médico, e William Oliveira, suspenso. Assim, Ítalo e Ronaldo foram as únicas novidades no meio-campo.

Rubro-negros tiveram duas novidades entre os 11 iniciais (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida começou como esperado, com o Bahia indo para cima e tentando fazer a pressão inicial. Após boa troca de passes em velocidade, Raí fez bom cruzamento para Rodallega que, de primeira, chutou no contrapé de Maílson, mas o goleiro defendeu. Logo em seguida, Juba recebeu de Rodrigão e bateu forte de fora da área, parando no travessão e demonstrando que não estava entregue.

Mesmo se fechando no 4-5-1, alternado constantemente ao 4-1-4-1, o Sport não conseguiu segurar as investidas iniciais do Esquadrão de Aço. Rezende avançou pela direita e cruzou rasteiro para o atacante colombiano, que deu chute frontal e o arqueiro rubro-negro afastou com os pés; em sequência, o camisa 9 tricolor foi servido por Raí em um contra-ataque veloz, entretanto Maílson evitou novamente.

Pernambucanos saíram sem sofrer gols ao intervalo (Imagem: Nordeste FC)

Optando por contra-atacar, muito pelas investidas adversárias, a equipe da Praça da Bandeira apostou em jogar nos erros e foi mais efetivo na pontaria. Cristiano insistiu pela direita, roubou e tocou para Naressi, que avançou e deu na entrada da área para Juba, que dominou e, de direita, finalizou com força no canto, sem dar chances de defesa.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Nas poucas vezes em que ficou com a bola, mesmo sem ter criatividade, o time leonino variou ao 3-4-3 — mais comum — e 4-3-3, tentando usar o lado do campo para atacar. Ainda assim, não conseguiu se encontrar, mas soube valorizar a vantagem construída e se segurou defensivamente até o último apito na etapa inicial.

Laterais em liberdade e trinca ofensiva: postura rubro-negra no ataque (Imagem: Nordeste FC)

Para o segundo tempo, César Lucena voltou sem mudanças, enquanto Guto Ferreira buscou corrigir erros e foi flertando com o empate. Mugni, que entrou no intervalo, bateu escanteio fechado e Maílson teve de se esticar todo para evitar um gol olímpico; pouco depois, não deu jeito: Borel recebeu na direita e cruzou para Raí completar.

Apesar de se postar no 4-4-2 sem a posse, o Sport voltou a falhar na defesa e sofreu a virada. Daniel foi servido por Mugni pela esquerda e mandou bola na medida para Rodallega que, ganhando de Sabino, só teve o trabalho de tocar para o gol. Foi a frustração dos planos traçados aos últimos 45 minutos de partida.

Antes e depois do empate, Leão se defendeu com duas linhas de 4 (Imagem: Nordeste FC)

A decepção, entretanto, durou pouco. Pedro Naressi iniciou a jogada, tabelou com Rodrigão e recebeu o passe no meio da marcação. O meio-campista se antecipou bem a Matheus Teixeira e tocou para o fundo do barbante, dando novo ânimo aos pernambucanos. Para ajustar o setor ofensivo, Bruno Matias e Ray Vanegas entraram nos lugares de Ítalo e Cristiano, respectivamente.

Assim, os leoninos passaram a formar um 4-2-3-1 ao atacar, tendo Vanegas pela direita, Naressi na armação e Juba revezando com Lucas Hernández na esquerda. Já nos acréscimos, quando tudo parecia caminhar para mais uma partida sem vitória do Leão, Ronaldo encontrou Juba em liberdade pelo lado; o prata da casa, tendo uma atuação inspirada, passou por André driblando e levantou na cabeça de Rodrigão, que cabeceou e sacramentou o triunfo.

Sport foi intenso ao atacar para buscar virada (Imagem: Nordeste FC)

Créditos da foto principal: San Jr/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: