Desvendando charadas: o que esperar taticamente de Náutico x Sport

Por: Felipe Holanda e Mateus Schuler

Náutico e Sport fazem o segundo Clássico dos Clássicos da temporada repletos de interrogações. Enquanto o Timbu ainda busca maturação com Felipe Conceição, Leão segue sem treinador efetivo. As “charadas” serão desvendadas apenas neste sábado (12) às 16h30, nos Aflitos, em confronto atrasado pela quinta rodada do Campeonato Pernambucano Betsson 2022.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha como alvirrubros e rubro-negros devem se postar no confronto, explorando principais posicionamentos, prováveis escalações, estilos de jogo, números, além de jogadores para ficar de olho em ambos os lados.

NÁUTICO

Vindo de três vitórias seguidas, Felipe Conceição deve repetir o esqueleto tático dos últimos jogos. A dúvida fica por conta da presença ou não de Juninho Carpina, que vem iniciando como opção no banco de reservas, bem como Amarildo e Léo Passos, regularizados no BID. Já os volantes Djavan e Rhaldney são desfalques certos, com lesões no adutor da coxa e joelho, respectivamente.

Timbu tem apenas uma dúvida da última partida (Feito no Tactical Pad)

ATAQUE

A estratégia mais utilizada pelo Náutico em fase ofensiva é o 4-3-3. O problema é justamente quando a equipe sai dessa “zona de conforto”, ocasionando erros de passes e aproximações desnecessárias. Em contrapartida, Conceição vem de quatro gols marcados nos dois últimos jogos, com Jean Carlos crescendo de produção.

Jean recebe a bola diante do Salgueiro, também pelo Estadual (Imagem: Premiere)

Outra opção, mais ousada, é variar entre o 4-2-4 e o 4-1-4-1 para sufocar a defesa rival. Neste cenário, os laterais participam efetivamente do apoio, subindo os blocos em profundidade, tendo Jean Carlos por dentro com mais liberdade para decidir as jogadas. Uma arma que pode ser letal.

Jean organiza contragolpe (Imagem: Nordeste FC)

DEFESA

Saiu Hélio dos Anjos, entrou Felipe Conceição, mas a defesa do Náutico segue preocupando o torcedor. Tudo isso somado à brusca queda de rendimento de Camutanga, um dos pilares do sistema defensivo nos últimos anos. Independente das peças, o Timbu geralmente se fecha com duas linhas 4 no tradicional 4-4-2.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Compactação na vitória sobre o Caruaru City, freando as investidas do Leopardo (Imagem: SporTV/Premiere)

A esperança pode ser o recente crescimento, já que todos os seis gols sofridos na era Conceição foram nos três primeiros jogos, contra CSA, derrota por 3 x 1 pela Copa do Nordeste; Tocantinópolis, revés por 1 x 0 na Copa do Brasil, e empate em 2 x 2, ante o Afogados, pelo Estadual. De lá pra cá, já são três partidas sem ser vazado.

PARA FICAR DE OLHO

Lucas Perri (GOL) – Apesar de não ter sofrido poucos gols, Lucas Perri é o grande goleiro de Pernambuco neste início de temporada. Já se provou capaz de fazer defesas memoráveis, além de ter espírito de liderança e precisão utilizando os pés. Peça fundamental no esquema de Felipe Conceição.

Jean Carlos (MEIA) -Uma vez mágico, sempre mágico. Reiterando o status de craque, Jean Carlos segue sendo a principal referência técnica do Timbu em 2022: letal nas bolas paradas, visionário armando o jogo, e frio como poucos para finalizar, vindo de dois gols assinalados nos quatro últimos jogos.

SPORT

Inconstante. Seja por opção, lesão e/ou suspensão, o Sport conseguiu repetir a escalação duas vezes consecutivas em apenas uma oportunidade, que foi nas últimas duas partidas. Poderia acontecer pela terceira, porém o interino César Lucena ganhou uma dúvida importante após empate com o Salgueiro: o atacante Rodrigão, após levar a pior numa dividida, pode não atuar, tendo Flávio e Búfalo como potenciais substitutos no 4-2-3-1 leonino.

Autor do gol diante do Salgueiro, Bruno Matias pode ganhar espaço no meio (Feito no Tactical Pad)

ATAQUE

Certo por linhas tortas. Se no triunfo sobre o Bahia o Sport conseguiu sua vitória mais emblemática nesta temporada, ainda há muito a resolver no sistema ofensivo. Principalmente pelo fato da irregularidade no setor, pois precisa de uma vitória para confirmar vaga no mata-mata do Estadual, já que no Nordestão avançou antecipadamente.

Volante mais marcador recua junto aos zagueiros e dá liberdade aos laterais (Imagem: Nordeste FC)

Para isso, os rubro-negros têm alternado frequentemente o desenho; porém o mais comum é ficarem no 3-4-3, mesmo sem três zagueiros de origem em campo. Assim, podem formar um 4-3-3, tendo o primeiro volante fixo, com os demais meio-campistas adiantados, ficando já próximos aos extremos e ao centroavante. Caso precise mais do resultado, o Leão pode ainda colocar o meia articulador na última linha ou ter um novo atacante, performando num 4-2-4 tendo auxílio dos laterais para criar as jogadas, utilizando a velocidade pelos lados e a força física pelo meio.

Leão tenta dar espaçamento das suas peças quando ataca (Imagem: Nordeste FC)

DEFESA

Apesar de passar por problemas defensivos, o Sport tem apresentado muitas variações, já que iniciou a temporada tendo o 4-1-4-1 como alternativa. Sob o comando de César Lucena, as alternâncias têm girado mais em torno do 4-5-1 — frequentemente — e 4-4-2, sendo a primeira opção usada para ter o meio povoado.

Blocos ficam mais compactados e apenas o centroavante isolado (Imagem: Premiere)

Se optarem por fechar os espaços também pelos lados, os leoninos buscam a formação das duas linhas de 4 e subir mais os blocos, tentando pressionar a saída de bola adversária. Os responsáveis por dar o primeiro combate são o centroavante e um dos extremos, geralmente o da direita, enquanto Juba faz revezamento com Lucas Hernández na esquerda, deixando o meia central aberto de lado.

Rubro-negros ficam mais adiantados para pressionar saída de bola (Imagem: Nordeste FC)

PARA FICAR DE OLHO

Pedro Naressi (MC) – Vindo em crescente nos últimos confrontos, o meia tem alternado constantemente seu posicionamento dentro de campo. Ora vindo de trás, ora ficando na armação, Naressi é o principal responsável por fazer a transição ao ataque, tanto que marcou um dos gols e colaborou dando uma assistência na vitória sobre o Bahia.

Juba (PE) – Craque da temporada. Principal jogador rubro-negro em 2022, o prata da casa tem um ano bastante positivo, sendo destaque no ataque dos rubro-negros. Nos 12 confrontos que disputou, Juba teve participação direta em seis tentos, marcando três deles e sendo garçom em outros três. O atleta tem sido forte também na bola parada, sendo importante nas cobranças de falta e/ou escanteio.

Arte: MVN Designers

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: