Definitivo: o que esperar taticamente de Santa Cruz x Náutico

Por: Felipe Holanda e Ivan Mota

Clássico das definições. De olho na semifinal, Santa Cruz e Náutico decidem seus futuros na última rodada Campeonato Pernambucano Betsson 2022: quem vencer garante a segunda colocação, com o Timbu tendo o empate a favor. Partida acontecerá nesta quarta-feira (16) às 21h, no Arruda, ainda sem a presença da torcida aos estádios de Pernambuco em “decisões” após mais de dois anos.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha como tricolores e alvirrubros devem se postar no confronto, explorando principais posicionamentos, prováveis escalações, estilos de jogo, números, além de jogadores para ficar de olho em ambos os lados.

SANTA CRUZ

Descansado e treinado. O treinador Leston Júnior teve mais de uma semana de preparação para o clássico, já que a última partida do Tricolor aconteceu no dia 5 de março, quando venceu o Vera Cruz por 2 x 1. Uma novidade certa para o duelo é Rafael Furtado; será a primeira partida do atacante iniciando como titular, já que Walter deixou o clube para atuar no Amazonas FC. Outra possível mudança é o retorno do volante Gilberto, que se recuperou de lesão. Também pode ocorrer uma alteração na zaga: Júnior Sergipano segue como dúvida e, caso se recupere a tempo, disputa posição com o jovem Guedes.

Com novidades e retornos, a provável escalação para o Clássico (Feito no Tactical Pad)

ATAQUE

Com 18 gols marcados em oito jogos, o Santa Cruz tem, ao lado do Sport, o segundo melhor ataque do Pernambucano, ficando atrás apenas do Retrô, que balançou as redes 19 vezes. Mantendo seu esquema inicial, o time pode partir para cima postado no 4-2-3-1. Os três jogadores mais avançados do meio-campo variam bastante de posição entre si, mas atuando próximos ao centroavante.

Tricolor avançando postado no 4-2-3-1 contra o Sport (Imagem: TV Globo)

Outra possibilidade é armar um 4-4-2. Nessa situação, um dos meias sobe para atuar ao lado do centroavante, dando liberdade para a chegada dos volantes. Um dos laterais, como no caso da imagem, também pode surgir na segunda linha de quatro. Já que a vitória no clássico é importantíssima para a Cobra Coral, tanto pela possibilidade de conquistar uma das vaga diretas na semifinal, quanto para garantir um calendário cheio em 2023, o time deve ir para cima com toda a força ofensiva possível.

Santa Cruz atacando no 4-4-2 com auxilio de um dos laterais (Imagem: TV Globo)

DEFESA

Ponto de preocupação. Vazado por 13 vezes nas oito rodadas que disputou, o Tricolor tem a pior defesa dentre todos os times que no momento formam o G-6 do Estadual. O time de Leston Júnior só não sofreu gols em uma partida até agora na temporada, quando bateu o Íbis por 3 x 0, pela terceira rodada. Também mantendo o esquema inicial, a equipe pode se fechar no 4-2-3-1 e deixando apenas o centroavante no campo de ataque.

Tricolor do Arruda se defendendo no 4-2-3-1 contra o Sete de Setembro (Imagem: Premiere)

Porém, o esquema mais tradicional do time para os momentos em que fica sem a bola é o 4-4-2. Nessas situações, os dois pontas recuam para jogar ao lado dos volantes, formando assim as duas linhas de quatro que atuam bem alinhadas, deixando um dos meias mais próximo ao centroavante, isolado na referência.

Mais Querido se fechando no seu tradicional 4-4-2 (Imagem: TV Globo)

PARA FICAR DE OLHO

Rodrigo Yuri (VOL) – Peça chave. O volante foi titular em todos os jogos da temporada e é um dos destaques do time até o momento. Além de ter bom trabalho defensivo, o jogador de 28 anos também demonstra boa presença no ataque. Até o momento, marcou um gol e distribuiu quatro assistências nas oito partidas que disputou.

Rafael Furtado (ATA) – O artilheiro. Mesmo sem ter atuado como titular até o momento, Rafael Furtado é o atleta coral, junto a Tarcísio, que mais balançou as redes na atual temporada. O atleta entrou no decorrer dos jogos em sete oportunidades, assinalando quatro gols. Agora, o atacante terá sua primeira chance entre os 11 após a saída de Walter, para manter o bom desempenho que teve como substituto.

NÁUTICO

Abatido. Vindo de dura derrota em clássico contra o Sport, os alvirrubros vão a campo pressionados, mesmo com classificação garantida. Por isso o treinador Felipe Conceição poderá poupar alguns dos ditos titulares, já que no fim de semana tem “decisão” pela Copa do Nordeste. Um dos jogadores é Jean Carlos, tendo Carpina como opção para o setor; já o volante Ralph, que é recém-contratado, pode entrar no lugar de Wagninho, ficando ao lado de Franco na cabeça de área.

Provável escalação do Náutico (Feito no Tactical Pad)

ATAQUE

O sistema ofensivo é o principal ponto forte Timbu. Regido pelo mágico Jean Carlos, o time costuma se movimentar bem no terço final, variando bastante entre o 4-2-3-1 e o 4-3-3 na hora de pressionar o adversário. Neste cenário, laterais e pontas se revezam em apoios ou coberturas, enquanto os volantes participam efetivamente da progressão de posse.

Jean é o craque da equipe alvirrubra (Imagem: Premiere)

Caso precise buscar um resultado em hipóteses de contragolpes, o Náutico pode apostar num 4-1-4-1 para ter vantagem numérica e ter mais chances de finalizar. Felipe Conceição também gosta de ter volantes sempre pisando na grande área; já os laterais chegam para dialogar com os companheiros nas zonas de arremate.

Outra opção, costumeiramente letal, é a bola parada, sempre capitaneada pelo camisa 10 alvirrubro, seja arrematando ou dando assistências. No último clássico, inclusive, o único tento no revés por 2 x 1 saiu em cobrança de falta colossal de Jean, ainda na primeira etapa, colocando no ângulo esquerdo de Maílson.

DEFESA

A boa fase do ataque destoa — e muito — do sistema defensivo. Apesar de ter passado três jogos sem ter sido vazado, as falhas que aconteceram no jogo contra o Sport custaram caro. Num contexto geral, Felipe Conceição se fecha com as tradicionais duas linhas de quatro, deixando o 4-4-2 sempre nítido quando o Timbu não tem a bola.

Postura defensiva contra o Caruaru City (Imagem: SporTV/Premiere)

Quando precisa conter o ímpeto rival, a equipe da Rosa e Silva pode formar uma linha de cinco, flertando entre o 5-3-2 e o 5-2-3, tendo um dos pontas auxiliando na recomposição. A estratégia foi vista diante do Sport, mas nem assim conseguiu impedir a virada, que veio com gols de Javier Parráguez, o Búfalo, e Ewerthon.

Alvirrubros apostaram ainda em uma linha de cinco, porém sem sucesso (Imagem: SporTV/Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

Richard Franco (VOL) – Um gringo em firmamento. Crescendo desde a chegada de Felipe Conceição, o paraguaio hoje é tido como titular absoluto. Organiza bem o jogo de posse e pode fazer as duas funções na cabeça de área, tendo marcado um gol neste Campeonato Pernambucano, além de dar duas assistências.

Ewandro (PD) – Válvula de escape pela direita, Ewandro vem ganhando mais ritmo de jogo com o comandante alvirrubro, sempre dando a profundidade pelo setor junto a Hereda. Costuma investir no 1 x 1 e ter bom aproveitamento nos dribles contra os laterais adversárias, tendo ido às redes três vezes nesta temporada.

Arte: Mateus Schuler/Pernambutático

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: