Na força e na raça: análise Náutico (4) 0 x 0 (3) Santa Cruz

Por: Mateus Schuler

Timbu finalista. Mesmo aos trancos e barrancos, o Náutico incorporou o vermelho de luta e venceu o Santa Cruz por 4 x 3, nos pênaltis, depois de empate sem gols durante o tempo normal neste sábado (2), nos Aflitos. Resultado assegurou vaga ao Timbu na grande decisão do Campeonato Pernambucano Betsson 2022.

Com novidades na escalação, os alvirrubros mantiveram o 4-3-3, mas mais ofensivo que outrora. Na defesa, Rafael Ribeiro substituiu Wellington, tal como Rhaldney voltou à cabeça de área junto a Franco; o ataque foi formado por Léo Passos, Kieza e Robinho, nessa ordem. Os corais, por sua vez, entraram na manutenção do time que eliminou o Caruaru City, tendo Júnior Sergipano no lugar de Guedes no 4-2-3-1.

Disposições táticas das equipes no Clássico das Emoções (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Mesmo com o caráter decisivo, a partida teve um início pouco intenso, mas o Náutico foi quem tomou a iniciativa de ter a bola, muito pelo fato de estar em casa. O Timbu tentou valorizar a força da torcida, porém não conseguiu ter o poder criativo de outrora atuando como mandante, o que foi deixando o jogo morno.

Sólido na marcação, o Mais Querido se fechou muito bem e bloqueou todas as investidas do arquirrival, apostando no contra-ataque como alternativa. Também sem criatividade, alternou bastante o desenho na fase defensiva, o que foi fundamental para neutralizar as jogadas alvirrubras; o mais comum aos corais foi a formação de duas linhas de 4 com compactação.

Santa segurou ataques do Timba na etapa inicial (Imagem: Premiere)

Se com bola rolando não conseguiu ser efetivo, o time da Rosa e Silva tentou assustar por meio da bola parada já na reta final do primeiro tempo, criando a única boa oportunidade. O craque da equipe, Jean Carlos bateu escanteio fechado na primeira trave, Franco subiu para desviar e mandou pela linha de fundo.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Para os últimos 45 minutos, os anfitriões voltaram com Djavan substituindo o também volante Franco, pendurado pelo cartão amarelo. No início, a mexida não surtiu o efeito esperado, já que Elyeser achou um bom passe na medida para Mateus Anderson, que dominou, invadiu a pequena área e chutou forte, parando em Lucas Perri.

Logo na sequência, Kieza e Rhaldney deixaram a partida para as entradas de Amarildo e Wagninho, o que gerou críticas a Felipe Conceição. Pelo lado dos corais, por outro lado, Tarcísio saiu e teve Esquerdinha em seu lugar. E a bola parada mais uma vez surgiu como alternativa ao Timba: Jean Carlos cobrou falta próxima à trave esquerda e levou perigo.

Donos da casa tiveram laterais ajudando na criação (Imagem: Premiere)

Postados no 4-2-3-1, ainda que tivessem o contra-golpe como solução para assustar a meta rival, o Mais Querido chegou perto de balançar as redes por duas vezes. Na primeira, após cobrança de falta na pequena área, o rebote ficou no pé de Mateus Anderson, que dominou e finalizou em direção ao gol, contudo Camutanga cortou.

Depois, em contra-ataque veloz, Rafael Furtado recebeu no meio da defesa e demorou a finalizar, com Lucas Perri afastando o perigo. A sobra caiu para o meia Esquerdinha, que bateu forte e o goleiro alvirrubro afastou o perigo, no entanto o impedimento havia sido marcado. No lance seguinte, foi a vez dos alvirrubros darem um susto: Pedro Vitor, que acabara de entrar, inverteu para Robinho dominar e arrematar colocado pela linha de fundo.

Tricolor do Arruda foi mais criativo no segundo tempo (Imagem: Premiere)

Apesar dos sustos, o Timba mostrou certa solidez durante a fase defensiva, já que formou um 4-4-2 ao ficar sem a posse, controlando mais o ritmo do jogo e fechando os espaços. No fim, os dois treinadores promoveram suas últimas mudanças: no Náutico, Carpina entrou na vaga de Robinho para ajudar Jean Carlos na armação das jogadas. Já o Santa Cruz promoveu mudanças mais defensivas, tendo Rodrigo Yuri, recuperado de lesão, substituindo Elyeser, e o atacante Rafael Furtado dando lugar ao lateral-direito Edson Ratinho, porém o placar não sofreu alterações.

Jean Carlos iniciou a série para o Timbu e bateu muito mal, chutando direto para fora. Em seguida, Esquerdinha foi para a cobrança e colocou o Tricolor à frente. Na segunda cobrança, Hereda cobrou com categoria e fez, porém Alex Alves também falhou, deixando tudo igual, que aumentou mais o drama nos Aflitos.

Timba neutralizou arquirrival na reta final da partida (Imagem: Premiere)

A terceira batida ficou a cargo de Pedro Vitor, que cobrou bem e converteu. Já Rodrigo Yuri teve calma e deslocou o goleiro Lucas Perri, estufando a rede. Depois, Amarildo chutou no canto direito de Kléver para fazer o gol, enquanto Marcos Martins, um dos mais experientes do elenco coral, também deixou no fundo das redes.

A série decisiva, que sacramentou a vaga do Náutico à final do Campeonato Pernambucano 2022, começou com uma boa batida de Júnior Tavares. Mas, Edson Ratinho, que entrou como substituto do artilheiro Rafael Furtado, acertou a trave esquerda, encerrando a participação do Santa Cruz no Estadual, que não vai à decisão pelo segundo ano seguido.

Créditos da foto principal: Rafael Vieira/FPF-PE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: