Sport no Campeonato Pernambucano: como joga taticamente o Salgueiro

Por: Mateus Schuler

Já Depois da garfada, a fartura. Maior campeão Estadual, o Sport volta as atenções para o Campeonato Pernambucano Betsson 2022 e tem duelo marcado contra o Salgueiro nesta quarta-feira (6) às 20h, na Ilha do Retiro, atrasado pelas quartas de final. Quem vencer, mede forças diante do Retrô por uma vaga na grande final; empate leva decisão para pênaltis.

Separamos tudo sobre o adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Tricolor do Sertão.

O TIME

Para a partida decisiva frente ao Leão, o Carcará tem dois desfalques e duas novidades na escalação. O ex-zagueiro leonino, técnico Silvio Criciúma sabe que não terá presenças do goleiro Jerfesson, expulso no empate com o Retrô, e o volante Kady, como divulgou a assessoria de imprensa do clube. Zagueiro Janelson e extremo direito Wescley cumpriram suspensão e agora já ficam à disposição no 4-2-3-1 salgueirense; antes lesionados, Valdeir e Robinho são dúvidas.

Tricolores terão praticamente força máxima entre os titulares (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Dentre as equipes que ainda brigam pelo título, o Salgueiro é quem possui o terceiro melhor ataque, ficando à frente apenas do Náutico, atrás de Sport e Retrô. Marcando 16 gols nos nove jogos, o Carcará deixou a oscilação inicial para trás e vem evoluindo durante a competição, mesmo tendo equilíbrio ao atacar e defender.

Laterais e volantes ajudam na criação salgueirense (Imagem: TV FPF)

Saindo ao setor ofensivo formando uma saída em 4+2, geralmente o Tricolor do Sertão tem o próprio 4-2-3-1 de base do meio para frente, tendo ainda os laterais sustentando as jogadas. Outra alternativa, quando precisa balançar as redes adversárias, o time performa no 4-2-4; os alas auxiliam os cabeças de área, enquanto o centroavante se junta ao trio de frente.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Carcará com mais ofensividade para pegar, matar e comer (Imagem: TV FPF)

“A busca pelo ataque sempre é com Wesley ou Robinho, usando os lados do campo dando amplitude pelos pontas. O Salgueiro gosta de ter a bola e, quase sempre, tem mais posse que o adversário, criando assim boas oportunidades, mas perdendo muitas também”

Darlando Barros, comentarista na Salgueiro FM

COMO DEFENDE

Apesar de não apresentar números positivos, já que terminou a primeira fase como o quarto ataque mais vazado — e se mantém o pior dos que disputam a taça — com 11 gols sofridos, os sertanejos têm buscado maior solidez, pois só não sofreram em uma partida. Para corrigir os problemas, Silvio Criciúma teve tempo de sobra, uma vez que foram três semanas sem jogar.

Salgueiro tenta aproximação das linhas para segurar adversários (Imagem: TV FPF)

Mesmo apresentando essas fragilidades, os tricolores têm como principal postura a formação de duas linhas de 4, com o 4-4-2 sendo destaque. Dessa maneira, os extremos se juntam aos meio-campistas, que alternam o posicionamento junto ao centroavante e na faixa central. Há também a possibilidade de ter o 4-5-1 sem a posse, povoando o meio e buscando o máximo de compactação, para não gerar brechas entrelinhas, deixando o centroavante isolado.

“O pedido do Silvio Criciúma é sempre estar bem posicionado, reduzindo espaços. É basicamente a mesma coisa dos outros jogos, com duas linhas de quatro para povoar tanto o meio, como as beiradas, para poder se fechar bem e sair no contra-ataque se preciso”

Darlando Barros, comentarista na Salgueiro FM
Salgueirenses tentam dar o mínimo de lacunas para infiltrações (Imagem: TV FPF)

PARA FICAR DE OLHO

Danielzinho (LD) – Apesar de não ter participado efetivamente em gols, o lateral-direito do Salgueiro vem colaborando com a criação de jogadas. Se o poder criativo passa pelos lados, muito se deve aos laterais, responsáveis pela intensidade nesses lances.

Léo Santos (VOL) – Primeiro volante de origem, é quem dá sustentação ao meio-campo do Carcará. O jogador, além de ser o pilar da marcação, faz ainda a transição ao ataque, seja abrindo de lado com laterais e/ou extremos, seja pelo meio com o armador; tem o chute de média distância como arma alternativa.

Hudson (ATA) – Homem-gol. Vice-artilheiro dos sertanejos no Estadual com três gols, atrás apenas do zagueiro Lucão, que fez quatro, o centroavante é peça fundamental ao sistema tático de Silvio Criciúma. O camisa 9 salgueirense ainda tenta ajudar os companheiros fazendo pivôs e saindo da área para dar mobilidade ao ataque.

Créditos da foto principal: Rodrigo Avelar/SAC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: