Suprindo carências: o que esperar taticamente de Giovanni no Sport

Por: Ivan Mota

10safio. Giovanni chega ao Sport sob a missão de preencher lacunas no elenco rubro-negro e ser o novo “camisa 10” após saída de Gustavo. Meia de 28 anos, que já passou pelo Náutico, desembarca na Ilha do Retiro após empréstimo junto ao Cruzeiro; vínculo com o Leão tem duração até o fim da Série B do Campeonato Brasileiro.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha o que esperar de Giovanni no Leão, com principais características, estilos de jogo, números e como o reforço pode se encaixar no time de Gilmar Dal Pozzo.

COMO SE ENCAIXAR TATICAMENTE

Giovanni chega ao Sport com o objetivo de resolver uma das principais carências do time na atual temporada. Até o momento, nenhum jogador do elenco leonino conseguiu se firmar atuando como meia de criação, o famoso camisa 10. Everton Felipe, atacante de lado de origem, atuou algumas vezes na função, apesar de não ter convencido, mas segue de fora do time desde o dia 27 de fevereiro por conta de uma lesão sofrida na partida contra o Altos na Copa do Nordeste.

A partir desta data, alguns nomes atuaram na posição, porém ninguém conseguiu ter sequência o suficiente para se firmar. Denner, meia de origem, teve atuações pouco convincentes. Além dele, os volantes Pedro Naressi e Blas também atuaram mais avançados sem empolgar. Com isso, Giovanni chega para assumir a titularidade na posição, atuando à frente dos volantes Pedro Naressi e Fabinho, outro recém-contratado, e se aproximando do trio mais ofensivo.

Provável escalação com Giovanni atuando como meia central (Feito no Tactical Pad)

Outra possibilidade é atuar mais pelo lado do campo, em situações que Dal Pozzo deseje armar o time com um meio mais defensivo, postando o time num 4-3-3. Por já ter feito essa função nos tempos de Cruzeiro, o camisa 77 não teria problema em atuar na posição.

Giovanni também pode atuar aberto no ataque (Feito no Tactical Pad)

NO ATAQUE

Apesar de ser um meia central de origem, nas últimas temporadas, onde atuou no Cruzeiro, Giovanni também realizou bastante outra função no meio de campo, atuando mais aberto pelo lado esquerdo. Por ser destro, esse posicionamento facilitava outra de suas características, o chute de longa distância, sempre cortando para o lado direito e arrematando. No Sport, ele deve atuar mais centralizado, porém, pode realizar uma variação de posições no decorrer das partidas, trocando de lugar com Juba.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Novo reforço rubro-negro atuando pelo lado no Cruzeiro (Imagem: O Tempo Sports)

Atuando mais centralizado, Giovanni faz a função do clássico camisa 10, contudo também pode atuar mais recuado, participando do início das jogadas ofensivas. Além disso, tem uma boa bola parada forte, seja em escanteios e cobranças de faltas alçadas para a grande área.

Giovanni atuando mais centralizado pela Raposa (Imagem: O Tempo Sports)

O meia não tem a velocidade como uma de suas principais características, mas pode ter papel importante em jogadas de contra-ataque. Assim, avança pelo meio e serve os companheiros mais velozes de ataques com passes e lançamentos em profundidade.

Meia armando um contragolpe quando atuava pelo Náutico (Imagem: Premiere)

NA DEFESA

Apesar de ser um jogador ofensivo, Giovanni também pode ajudar defensivamente, principalmente na recomposição defensiva. Como o Leão costuma se fechar em 4-1-4-1 quando joga sem a bola e é pressionado pelo adversário, o camisa 77 terá que retornar ao campo de defesa para fechar os espaços, seja pelo lado do campo, como na imagem, ou no meio, ao lado de um dos volantes.

Recomposição defensiva do meia atuando no Cruzeiro (Imagem: SporTV/Premiere)

CURRÍCULO

Natural de Sorocaba, cidade do interior de São Paulo, Giovanni foi revelado pelo Corinthians, equipe onde realizou suas primeiras partidas como jogador profissional. Entre 2012 e 2013, o meia atuou em 17 partidas pelo Timão, marcando dois gols e fazendo parte dos elencos que conquistaram o Mundial de Clubes de 2012 e o Campeonato Paulista de 2013. Ainda nesse mesmo ano, fez parte da Seleção Brasileira Sub-20, sendo campeão do Torneio de Toulon.

Mesmo tendo seus direitos federativos ligados ao alvinegro até 2017, o meia não atuou mais pelo clube, sendo emprestado para diversos times do futebol paulista, como Ponte Preta, Portuguesa, São Bento, além de uma passagem pelo Athletico Paranaense em 2015. Porém, em nenhuma dessas equipes conseguiu uma grande sequência como titular.

Sua carreira começou a melhor nesse aspecto em 2017, quando chegou ao Náutico. Pelo Timbu, foram 20 partidas como titular na Série B, com dois gols marcados. Apesar de algumas atuações irregulares e problemas com a questão física, deixou boa impressão nos Aflitos.

Antes de chegar ao Cruzeiro em 2020, também para a disputa da Segundona, teve passagens por Goiás e Coritiba, onde também se firmou no time titular, além de conquistar o Campeonato Goiano de 2018. Na primeira temporada pela Raposa, acabou encontrando dificuldades para se firmar, atuando apenas cinco vezes como titular.

Antes de ganhar mais espaço com os mineiros, ainda teve uma passagem por empréstimo do Avaí, onde se sagrou campeão estadual e foi chamado de volta na mesma temporada para o time celeste, onde atuou 31 vezes e marcou cinco gols na Série B de 2021. Em 2022, foram poucas partidas pelo Campeonato Mineiro, que culminaram no seu empréstimo ao Leão da Ilha.

Arte: MVN Designers

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: