Na força e na raça: análise Náutico 1 x 1 Guarani

Por: Felipe Holanda, Ivan Mota e Mateus Schuler

Insistência alvirrubra. No apagar das luzes, o Náutico arrancou empate em 1 x 1 diante do Guarani e somou ponto importante na busca pelo G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Amarildo marcou o gol do Timbu no último lance, enquanto Bruno José fez o do Bugre, nesta terça-feira (3), nos Aflitos, em partida válida pelo encerramento da 5ª rodada.

Roberto Fernandes fez mudanças no time depois do bicampeonato estadual. Bruno Bispo entrou na vaga de Camutanga, que ficou fora até do banco. Já as demais alterações foram do meio para frente, deixando o Timbu com um esquema mais ofensivo. Niltinho e Luís Phelipe apareceram entre os titulares, enquanto Ralph e Pedro Vitor foram para o banco; assim, Eduardo Teixeira foi quem jogou mais recuado ao lado de Rhaldney, seguindo no 4-2-3-1.

Timba teve volta de alguns dos considerados titulares aos 11 iniciais (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Começo movimentado. Os primeiros minutos do duelo foram marcados por boas chances de ambos os lados. O Guarani começou finalizando por duas vezes, dificultando o avanço do Náutico, que buscava sair para o jogo numa saída 4+1, tendo Rhaldney mais aproximado da linha defensiva, deixando os demais companheiros adiantados.

A primeira boa chance do Timbu veio aos seis, quando Niltinho avançou bem pela esquerda e levantou na cabeça de Léo Passos, que mandou à queima- roupa, mas Kozlinski fez grande defesa. O Bugre não se intimidou e acertou o travessão de Lucas Perri em um chute de longa distância do atacante Júlio César.

Timbu se fecha em um 4-5-1 para evitar ataques do Bugre (Imagem: SporTV/Premiere)

Quando o alviverde partiu ao ataque, o alvirrubro se fechou num 4-5-1, com o atacante Léo Passos voltando para ajudar na marcação. Tendo problemas na transição de jogo, os donos da casa deram muitos espaços e acabaram sendo punidos. Em falha defensiva, Eduardo Person achou Bruno José livre na pequena área e, na saída do goleiro, tocou para abrir o placar.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Buscando o empate, os pernambucanos tentaram acelerar, indo para cima no 4-3-3, contudo a falta de criatividade e qualidade continuou. A equipe só conseguiu levar algum perigo à meta de Kozlinski em finalizações de fora da área pelos pés de Jean Carlos; em uma delas, o arqueiro paulista defendeu em dois tempos.

Imposição sem sucesso do Timba (Imagem: SporTV/Premiere)

Para a segunda etapa, Roberto Fernandes optou por corrigir os problemas de transição, ajustando o meio, e testar novas possibilidades. Dessa maneira, os alvirrubros voltaram com Victor Ferraz, Ralph e Pedro Vitor ocupando lugares de Thássio, Eduardo Teixeira e Niltinho, respectivamente. Antes do relógio dar cinco voltas no ponteiro, a primeira oportunidade: Pedro Vitor recebeu passe pela direita, driblou Ronaldo Alves em jogada individual e chutou para defesa de Kozlinski.

Formando um 4-2-3-1 quando avançou ao ataque, o Timba seguiu intenso e voltou a levar perigo logo na sequência, construindo em uma saída 4+2. Léo Passos recebeu na entrada da área, dominou e soltou uma bomba, parando no camisa 1 bugrino. A persistência chegou ainda mais perto de ter sucesso quando Rhaldney foi servido por Victor Ferraz na pequena área e demorou a bater pro gol, tendo nova intervenção do arqueiro adversário.

Timba em transição ofensiva no sistema base (Imagem: SporTV/Premiere)

A pressão foi aumentando cada vez mais, tentando se impor com o máximo de peças no último terço, entretanto a dor de cabeça era a mesma: pontaria e criatividade. O comandante alvirrubro então sugeriu dar mais intensidade, tendo um 4-2-4 para poder preencher o setor defensivo adversário usando o máximo de peças possível.

Iluminado. Amarildo e Ewandro ainda foram acionados para as vagas de Léo Passos e Luís Phelipe, nesta ordem, no intuito de não dar sossego. No primeiro lance, Ewandro serviu Victor Ferraz após boa troca de passes pela direita, que cruzou na pequena área para Ralph; o volante bateu de primeira e acertou o travessão. No último minuto, no entanto, Rhaldney fez o cruzamento pelo lado direita, tendo desvio em Derlan, mas Kozlinski saiu mal da barra e não tirou o perigo. A bola caiu na cabeça de Amarildo e encobriu o goleiro, levantando o público.

Abafa foi recompensado no fim da partida (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: