Como uma Fênix: análise Retrô 1 x 0 Globo

Por: Mateus Schuler

Mudança de chave. O Retrô ressurgiu das cinzas após perda do título Estadual e venceu o Globo para assumir a liderança no Grupo A3 e seguir no sonho pelo acesso na Série D do Campeonato Brasileiro. Jogo foi disputado na Arena de Pernambuco, nesta quarta-feira (3), pela terceira rodada; gol marcado por Gustavo Ermel.

O vice-campeonato já ficou para trás no lado azulino da moeda. Para o jogo com os potiguares, o treinador Dico Wooley não inventou e optou por fazer o que já vinha fazendo, colocando o atacante Mascote — artilheiro do time na competição nacional — na vaga de Yuri Bigode, mas mantendo o tradicional 4-3-3 na escalação inicial.

Retroenses foram a campo com apenas uma alteração da final estadual (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida começou com ampla superioridade do Retrô, que buscou se impor e não dar trégua ao Globo. E assim saiu a primeira boa oportunidade, antes dos primeiros 10 minutos: Mayk inverteu da esquerda para a direita no pé de Gustavo Ermel; o camisa 11 dominou e bateu colocado no gol, mas Iago Hass defendeu seguro.

Alternando entre 4-2-3-1 — mais comum — e 4-3-3, repetindo a tática-base, a Fênix voltou a levar perigo logo em sequência por duas vezes, ambas vindo de Ermel. Na primeira, ele rolou na entrada da área para Radsley chutar forte e parar no goleiro adversário; depois, ele mesmo pegou o rebote na entrada da área e finalizou próximo ao travessão.

Time de Camaragibe entrou com ofensividade nos minutos iniciais (Imagem: InStat TV)

De tanto insistir e pressionar, os azulinos foram recompensados com um gol. Depois de recuperar a posse ainda no campo de defesa, Ermel foi lançado no lado esquerdo ofensivo, aproveitou falha da marcação ao tentar corte para a lateral e, na saída do arqueiro, mandou tirando do alcance, deixando seu time em vantagem.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Para a etapa final, Dico Wooley optou por não realizar nenhuma mudança de imediato, mantendo inclusive a mesma proposta ao ficar sem a bola, tendo a formação de duas linhas de quatro como característica principal. Apesar dos potiguares terem crescido, criando mais oportunidades, faltou eficiência para furar o bloqueio retroense.

Cadeado foi fechado durante primeira etapa na Arena (Imagem: InStat TV)

Na tentativa de recuperar o fôlego no ataque, o comandante azulino colocou João Guilherme na vaga de Gustavo Ermel, continuando com a estrutura do início do confronto. Formando um 4-5-1 para segurar as investidas da Águia, os pernambucanos passaram bem o cadeado e foram controlando o placar favorável.

Guilherme Santos e Fumaça foram acionados nos lugares de Mayk e Radsley, respectivamente, e a criatividade voltou à tona, contudo insuficiente. Charles soltou o pé da entrada da área e parou em intervenção de Iago Hass, que foi pouco exigido no segundo tempo. Com mais equilíbrio, o confronto ficou sem muita ofensividade e o resultado positivo persistiu até o fim, inclusive após a expulsão do lateral-esquerdo Fernando.

Retroenses tiveram solidez defensiva durante partida (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Abne Quintino/Retrô FC Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: