Carroça de pio: análise Retrô 1 x 1 Afogados

Por: Mateus Schuler

Nem lá, nem cá. A Coruja tentou surpreender, mas a Fênix voou para buscar empate em 1 x 1 e embolar de vez o Grupo A3 da Série D do Campeonato Brasileiro. Paulista foi às redes pelo Afogados, já Mascote fez o gol do Retrô neste domingo (15), na Arena de Pernambuco, em partida válida pela quinta rodada.

Para o confronto, Dico Wooley até manteve o 4-2-3-1 que vem utilizando nos azulinos, porém promoveu três novidades entre os titulares: Warian no lugar do suspenso Charles, Ruan substituindo Renato e Gustavo Ermel de volta aos 11 após lesão. Já os afogadenses tiveram o retorno de Airton Júnior depois de cumprir suspensão e Rogerinho substituindo Juffo, expulso no último jogo.

Escalações iniciais de azulinos e tricolores (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

O duelo pernambucano começou bastante equilibrado, mas com pequena superioridade do Afogados, mesmo jogando longe de seus torcedores. Logo aos três minutos, a primeira chance de perigo: Paulista cobrou falta colocada e forte na entrada da área, parando em defesa de Jean, que se esticou todo para afastar.

E foi explorando um erro na saída do Retrô, formando um 4-4-2 ao ficar sem a bola, que a Coruja conseguiu abrir vantagem no placar. Mayk saiu errado, Toninho Paraíba avançou em liberdade pela direita e serviu Rogerinho, que aproveitou bem o espaço para fazer o cruzamento na medida para Paulista; o camisa 8 dominou e fuzilou o goleiro retroense.

Tricolor do Pajeú optou por postura reativa longe de casa (Imagem: InStat TV)

O gol fez a Fênix acordar em campo, saindo mais intensamente em busca do empate, entretanto faltou poder criativo, pois sequer chegou perigosamente. Mesmo tendo maior posse, os azulinos esbarraram nas próprias limitações e o jogo foi ficando monótono, tendo a intensidade praticamente nula no setor ofensivo.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Formando o próprio 4-2-3-1 de base, os mandantes passaram a criar melhor as jogadas, faltando pontaria dessa vez. No primeiro lance mais trabalhado, deixou tudo igual no placar: Gustavo Ermel arrancou pela esquerda, tabelou com Mayk e fez cruzamento rasteiro preciso para Mascote; debaixo da barra, o centroavante só teve o trabalho de completar.

Laterais ajudaram meio-campistas na criação de jogadas (Imagem: InStat TV)

Para o segundo tempo, os dois treinadores optaram por realizar alterações, pois a igualdade não era positiva aos dois lados. Pelo time de Camaragibe, Dico Wooley voltou com Yuri Bigode e João Marcos nos lugares de Warian e Ruan, enquanto Felipe foi acionado na vaga de Rogerinho; ambos seguiram na tática inicial.

O equilíbrio voltou a ser a tônica da partida, mesmo com novas mudanças sendo realizadas pelos comandantes. Quem chegou mais perto de somar três pontos foi o Retrô, que chegou a performar no 2-4-4 para povoar melhor o campo ofensivo, tendo apenas a dupla de zaga atrás do círculo central. Em cruzamento de Pedro Costa pela direita, Renan Dutra desviou e parou numa defesaça de Léo, evitando a virada e garantindo o empate ao final.

Somente os zagueiros retroenses ficaram mais recuados (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Raphael Cunha/Retrô FC Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: