Desacordado: análise Sousa 3 x 2 Afogados

Por: Mateus Schuler

Cochilo fatal. Após boa atuação no primeiro tempo, o Afogados dormiu no ponto e foi derrotado pelo Sousa por 3 x 2, de virada, ficando distante da zona de classificação de sua chave na Série D do Campeonato Brasileiro. Rogerinho e Toninho Paraíba marcaram em favor do Afogados, mas Natalício, Otacílio Marcos e Caíque deram a vitória ao Dino; jogo foi neste sábado (21), no Marizão, pela sexta rodada.

Os afogadenses entraram com duas modificações no time que foi a campo diante do Retrô, no confronto pernambucano. A primeira delas foi no gol, pois o goleiro Léo foi vetado pelo departamento médico, tendo Lucas Vinícius fora mais uma vez também por lesão. No meio-campo, Paulista foi ausência após cumprir suspensão automática, tendo Índio acionado na sua vaga, repetindo o 4-2-3-1.

Escalação inicial do Tricolor do Pajeú teve duas novidades (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida começou altamente positiva para o Afogados. Com um minuto de bola rolando, Rogerinho avançou livre e foi derrubado na pequena área pelo lateral-esquerdo Vinícius; ele mesmo cobrou e, em segurança, deslocou bem o goleiro Ricardo para abrir o placar, dando indícios de que a equipe teria um poder ofensivo intenso.

Pelo contrário. Mais retraída, a Coruja jogou o primeiro tempo mostrando ter muita inteligência e com uma marcação sólida. Alternando entre 5-3-2 e 4-4-2, tinha as linhas próximas e bastante compactadas, fechando o máximo de espaços para evitar infiltrações do Sousa, pouco agressivo quando teve a bola.

Afogadenses controlaram ritmo durante primeira etapa (Imagem: InStat TV)

Jogando no erro adversário, os afogadenses conseguiram ampliar o placar nos minutos finais, chegando ao intervalo com mais tranquilidade dentro de campo. Mattheus bateu falta frontal e o arqueiro dos paraibanos espalmou no meio da pequena área; a sobra caiu para Toninho Paraíba, que encheu o pé e não deu chances ao camisa 1.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Apesar do resultado favorável, o técnico Ito Roque promoveu duas mexidas para o segundo tempo, mantendo o sistema tático. Weverton e Índio foram sacados para as entradas de Roberto e Guilherme, respectivamente, tendo Félix deslocado para atuar na ala direita e Toninho Paraíba junto a Isakiel na cabeça de área; defesa se manteve segura inicialmente.

Tricolor do Pajeú formou 4-3-3 nas poucas vezes que atacou (Imagem: InStat TV)

Atacar no 4-3-3, entretanto, não foi o suficiente para que os pernambucanos voltassem a furar o bloqueio do Dino. Isso fez o Sousa crescer e ficar criativo, mesmo esbarrando no muro sertanejo de início; Maycon recebeu passe pela esquerda, girou e bateu para defesa de Jonathan. Logo em sequência, o gol saiu: Caíque cobrou falta forte, a bola desviou no caminho e saiu do alcance do goleiro.

Dois minutos se passaram e mais uma vez a defesa tricolor dormiu, sofrendo novo “apagão”. Caíque levantou tiro livre no meio da pequena área e Otacílio Marcos cabeceou firme, estufando a rede. Quando tudo pareceu encaminhar para o empate, que estava ruim, os afogadenses tiveram pênalti contra já na reta final, gerando reclamação do lado visitante. Caíque, que não teve nada com isso, fez cobrança de segurança e fechou o placar.

Sistema defensivo se perdeu no fim da partida (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Jefferson Emanoel/Sousa EC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: