Bicador: o que esperar taticamente de Hugo Cabral no Santa Cruz

Por: Ivan Mota

Um “bico”. Sem marcar há quase três anos — a última vez foi em agosto de 2019 —, Hugo Cabral, também conhecido como “Pica-Pau”, chega ao Santa Cruz para reencontrar os melhores dias no futebol e ser mais uma opção ofensiva no esquema de Marcelo Martelotte. Hugo já defendeu vários times do Nordeste, entre eles, o Náutico; seu último clube foi o Volta Redonda, onde disputou o Campeonato Carioca.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha o que esperar de Hugo Cabral no Mais Querido, com principais características, estilos de jogo, números e como o reforço pode se encaixar no time de Leston Júnior.

COMO SE ENCAIXAR TATICAMENTE

Centroavante de origem, Hugo Cabral também pode atuar como atacante de lado, pelas pontas esquerda ou direita do setor ofensivo. Como o Santa Cruz atualmente conta com dois atacantes de área, Raphael Macena e Rafael Furtado, o novo reforço deve se encaixar pela beirada do campo.

Mantendo o 4-2-3-1 que Leston Júnior vem utilizando nos último jogos da Série D do Campeonato Brasileiro, Hugo pode se encaixar no lado esquerdo do ataque, função que atualmente é desempenhada por Matheuzinho. Por ser destro, esse posicionamento facilita sua finalização, cortando para dentro e chutando com seu pé principal.

Santa Cruz em seu tradicional 4-2-3-1 com Hugo Cabral na ponta esquerda (Feito no Tactical Pad)

Em situações mais defensivas ou sem a posse de bola, o time pode se postar em um 4-4-2 ou 4-5-1. Nesses momentos, Hugo Cabral auxiliará na marcação, formando a segunda linha ao lado dos meio-campistas e fechando o lado esquerdo de defesa com Dudu Mandai.

4-5-1 com o atacante atuando mais recuado pela esquerda (Feito no Tactical Pad)

NO ATAQUE

Sem balançar as redes desde 2019, Hugo Cabral chega ao Santa Cruz querendo acabar com a má fase e recuperar a confiança. No Volta Redonda, seu último clube, atuava aberto pelos lados, mas podia se aproximar do centroavante no 4-3-3; maioria dos seus passes para finalizações aconteceu pelo setor direito. No Campeonato Carioca de 2022 anotou uma assistência nos dez jogos que disputou.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Hugo Cabral atuando pelo lado direito do ataque (Imagem: Cariocão Play)

Quando o assunto é finalização, Hugo tem a tendência de atuar pelo lado esquerdo do campo. Praticamente todos os seus chutes pelo Voltaço na temporada foram pelo setor, sendo a maioria deles já dentro da grande área. Porém, a média de chutes na direção correta do gol preocupam bastante, tendo média de apenas 28,6 nas finalizações certas.

Atacante atuando pela esquerda, onde leva mais perigo ao adversário (Imagem: Cariocão Play)

Nesse vídeo vemos algumas finalizações do jogador pelos seus últimos três clubes. Podemos observar com clareza sua preferência pelo lado esquerdo do campo, buscando o corte para o pé direito, além de algumas infiltrações na grande área. Mas a falta de qualidade nos chutes, muitos travados pela marcação, ou mesmo a pouca pontaria em chances claras, precisam ser melhoradas para ter sucesso no Arruda.

NA DEFESA

Hugo Cabral também deve ter papel defensivo pelo Tricolor do Arruda. O time costuma defender com duas linhas de quatro ou no 4-5-1 e o Atacante terá obrigação de recuar ao lado dos volantes quando a equipe ficar sem a posse. Porém, pelo Volta Redonda o jogador não conseguiu realizar nenhum desarme no último Campeonato Carioca.

Novo reforço do Santa Cruz ajudando na marcação com duas linha de quatro (Imagem: Cariocão Play))

CURRÍCULO

Natural de São João de Meriti, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Hugo Cabral chega ao Santa aos 33 anos e com passagens por diversos clubes do futebol nacional. Após iniciar a carreira em times menores do futebol carioca, como Olaria e Macaé, o atacante que teve seus direitos federativos compradas pelo Tombense em 2012, onde passou por uma série de empréstimos até o fim de 2019.

Depois de passagem apagada pelo Ceará, onde disputou quatros jogos na Série B, foi contratado pelo Náutico para compor o elenco no Brasileirão de 2013. O Timbu acabou fazendo uma péssima campanha, terminando na lanterna da competição. Hugo fez 18 partidas, apenas cinco como titular, e anotou dois gols, sendo comandado por Marcelo Martelotte em oito oportunidades. Em 2014 foi campeão da Segundona pelo Joinville, porém atuando em apenas oito oportunidades.

Passando sem muito sucesso por Bahia, Avaí e Criciúma, o jogador teve sua temporada mais goleadora pelo Luverdense, também na Segunda Divisão, quando balançou as redes nove vezes em 2017, chamando a atenção do América-MG. Pelo Coelho, conquistou pela segunda vez o torneio, garantindo o acesso para Série A de 2018, mas não permaneceu no time.

O atleta ainda passou por Ponte Preta, CSA e Cuiabá (onde marcou seu último gol) antes de terminar seu contato com o Tombense, ficando livre no mercado após um período no Ituano. Em 2020 acabou indo para o futebol do Chipre, defendendo o Ermis Aradippou por uma temporada. Em 2021 retornou ao Rio de Janeiro, atuando pela Portuguesa e Volta Redonda.

Arte: MVN Designers

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: