Isso, isso, isso: análise Afogados 2 x 0 Crato

Por: Mateus Schuler

Tinha de ser o Chaves. Com um gol e uma assistência, o atacante do Afogados foi o nome na vitória por 2 x 0 sobre o Crato, neste domingo (29), no Vianão pela Série D do Campeonato Brasileiro. O outro tento da Coruja foi marcado por Paulista, em duelo pela sétima rodada do Grupo A3.

Com as voltas do goleiro Léo e do volante Paulista, após lesão e suspensão, respectivamente, os afogadenses tiveram apenas duas novidades da última partida. Jonathan e Índio, titulares na derrota sofrida de virada para o Sousa, ficaram como opção entre os reservas, repetindo o 4-2-3-1 do treinador Ito Roque.

Tricolor do Pajeú teve duas mudanças na escalação (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Repetindo a postura proposta em todos os jogos que atuou como mandante, o Afogados partiu para cima desde o início e sufocou o Crato, confirmando o favoritismo esperado. Apesar da pressão, o placar foi inaugurado depois de um contra-ataque: Rogerinho roubou a bola pela direita e lançou Anderson Chaves em profundidade, que driblou um zagueiro e bateu encobrindo Preto.

O bom momento continuou e, formando o 4-3-3 desde o campo de defesa, a Coruja não demorou a balançar as redes novamente. Dessa vez, a equipe fez boa troca de passes no ataque e a bola sobrou para Breninho, que emendou bom chute e o goleiro do Azulão espalmou; Chaves não desistiu da jogada e cruzou à meia altura para Paulista, que chegou completando.

Afogadenses saindo para o ataque em jogo apoiado (Imagem: InStat TV)

Para o segundo tempo, a proposta até foi mantida, porém duas substituições foram realizadas pelo técnico Ito Roque. Breninho e Rogerinho foram sacados para as entradas de Matheusinho e Felipe, mantendo o desenho tático com a mesma intensidade da etapa inicial. Assim, foi criada a primeira boa chance dos 45 minutos finais: Weverton recebeu de Anderson Chaves e o chute saiu perigosamente.

Curtindo o conteúdo? Apoie o Pernambutático clicando aqui

Performando um 4-1-4-1 ao ficar sem a bola, os pernambucanos seguraram o pouco ímpeto dos cearenses, que sequer chegaram a assustar. Muito pelo cadeado fechado, mas também por conta dos blocos médio/altos, fazendo a pressão do círculo central em diante, neutralizando a criação adversária no campo de defesa.

Coruja controlou ritmo do Crato com a bola (Imagem: InStat TV)

Com o passar do tempo, a partida foi ficando morna, sem as equipes irem à zona ofensiva intensamente. Ainda assim, os donos da casa permaneceram melhores e ficaram mais próximos de balançar as redes: no último momento de perigo, Toninho Paraíba encontrou Anderson Chaves na meia-lua, que fez o domínio e finalizou perto da trave.

Formando um 4-2-3-1 ao atacar, os donos da casa valorizaram o resultado positivo construído na primeira etapa e o comandante do Tricolor do Pajeú foi realizando testes até o apito final. Dessa maneira, ocorreram as últimas três modificações: Weverton, Félix e Anderson Chaves saíram, tendo Arthur, Guilherme e Wellington Nunes entrando nas respectivas vagas.

Proposta ofensiva dos anfitriões durante etapa final (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Rafael Vieira/FPF-PE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: