Ases indomáveis: análise Retrô 3 x 0 São Paulo Crystal

Por: Mateus Schuler

Cada vez mais isolado. Sem tomar conhecimento do adversário, o Retrô venceu o São Paulo Crystal na Arena de Pernambuco para se firmar de vez no topo do Grupo A3 da Série D do Campeonato Brasileiro. Os gols da vitória da Fênix neste sábado (4), por 3 x 0, foram marcados por João Marcos, Giva e Rondinelly.

Muitas novidades. Sem a dupla de zaga titular, fora por lesão, Dico Wooley foi a campo com Yuri Bigode e Sandoval no setor, já Gelson, suspenso, deu lugar a Diego Cardoso no meio. No ataque, Matheus Serafim formou o trio ao lado de Mascote e João Marcos, substituindo o poupado Gustavo Ermel, seguindo o 4-3-3 na escalação inicial azulina.

Time deve mudanças tanto por opção, como obrigação (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida iniciou bastante truncada e equilibrada, com poucas chances dos dois lados. Mesmo jogando em casa, o Retrô teve menos posse, buscando o erro do São Paulo Crystal, que não foi criativo quando atacou. A primeira boa chance veio dos pés de Charles, ao cobrar falta forte e parar em uma defesa segura de João Marcos.

Postado no tradicional 4-3-3 ao ter a bola, a Fênix passou a propor mais e foi em busca do gol. Tendo maior volume, conseguiu sair à frente do placar num erro do posicionamento da marcação paraibana; Charles deu bom passe no meio dos adversários, Diego Cardoso fez o corta-luz e João Marcos, na saída do goleiro, bateu para o fundo do barbante.

Imposição dos donos da casa durante primeira etapa (Imagem: InStat TV)

Se o primeiro tempo foi abaixo no quesito criatividade, o segundo teve outro panorama. E com superioridade numérica em favor dos retroenses no início. Obede deu entrada dura em Mascote e recebeu o vermelho direto, o que fez Dico Wooley renovar o fôlego do setor ofensivo: Diego Cardoso, João Marcos e Mayk foram sacados para as entradas de Alê Santos, Breno e Guilherme, na ordem.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Inicialmente, os pernambucanos ficaram mais cautelosos, mantendo o 4-5-1 da primeira etapa quando não tiveram a bola e buscaram apostar em novos erros do Carcará. Consciente que poderia pressionar intensamente, o técnico dos anfitriões fez as últimas duas mudanças: Rondinelly e Giva ganharam os lugares de Radsley e Mascote, respectivamente.

Postura defensiva não teve modificações (Imagem: InStat TV)

No primeiro lance em campo, a dupla acionada conseguiu ampliar o placar. Depois de boa troca de passes pelo lado esquerdo, Alê Santos deixou para o meia Rondinelly, que tocou de calcanhar para Breno; o camisa 25 serviu Giva já dentro da pequena área, que finalizou na saída do goleiro e estufou a rede paraibana.

Aí a porteira se abriu cada vez mais. Dois minutos depois, saiu o terceiro tento após formação de um 4-2-4 que alternou ao 2-3-5. Em movimentação pela direita dessa vez, Breno recebeu de Giva e, se infiltrando nas costas do lateral tricolor, cruzou na medida para Rondinelly; sozinho, o meia só teve o trabalho de completar, fechando o placar.

Superioridade numérica ajudou na construção retroense (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Raphael Cunha/Retrô FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: