Chovendo no molhado: análise CSE 0 x 0 Santa Cruz

Por: Ivan Mota

Impraticável. Num gramado castigado pelas chuvas, o Santa Cruz não conseguiu apresentar seu futebol frente ao CSE e voltou de Alagoas com um ponto na bagagem, permanecendo na zona de classificação à segunda fase do Grupo A4 da Série D do Campeonato Brasileiro. Empate em 0 x 0 aconteceu neste sábado (11) no Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios, pela 9ª rodada.

Marcelo Martelotte realizou apenas uma mudança em relação ao time que derrotou o Sergipe na última rodada. Elyeser ganhou a vaga de Wescley, suspenso, o que formou o meio de campo com três volantes de origem; Matheuzinho, Rafael Furtado e Hugo Cabral seguiram formando o trio de ataque.

Escalação inicial dos corais para o duelo (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Primeira etapa prejudicada pelo gramado. Os dois times tiveram muita dificuldade de trocar passes, principalmente no meio de campo, área mais castigada pela chuva. Com isso, as principais jogadas surgiram em cruzamentos e lances de bola parada.

Tentando atacar, o Santa Cruz avançou para o campo dos alagoanos no 4-2-3-1 de base, com Matheuzinho, Elyeser e Hugo Cabral tentando armar as jogadas para Rafael Furtado. A primeira boa chance de gol, porém, foi dos donos da casa; Izaldo encheu o pé de fora da área, obrigando o goleiro Jefferson a realizar grande defesa.

Cobra Coral buscou vencer o gramado ruim mantendo sistema tático (Imagem: InStat TV)

Pouco tempo depois, mais uma boa chegada dos alagoanos. Dessa vez foi Júnior Timbó quem finalizou: a bola desviou na defesa dos corais e passou raspando a trave; essa foi a última jogada que gerou algum perigo real de gol do primeiro tempo.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Tentando se fechar, o Mais Querido se armou num 4-3-3 tendo Matheuzinho mais recuado para atuar junto a Gilberto e Daniel Pereira, os dois volantes de função mais defensiva. Com isso, o resultado se manteve até o apito final da primeira etapa.

Tricolor do Arruda se defendeu no 4-3-3 (Imagem: InStat TV)

A Cobra Coral voltou melhor para o segundo tempo, conseguindo criar duas boas chances logo nos primeiros minutos. Elyeser arriscou com força de longa distância, mas o goleiro defendeu em dois tempos. A melhor oportunidade, entretanto, surgiu dos pés de Hugo Cabral: o camisa 10 avançou pela esquerda e cruzou, Izaldo tentou afastar, pegou mal na bola e acabou acertando a própria trave.

Os minutos finais foram com pressão do CSE. A grande chance de abrir o placar surgiu em uma cobrança de falta. Luizinho chutou de muito longe e a bola explodiu no travessão de Jefferson. Tentando se segurar, os pernambucanos se fecharam em duas linhas de quatro, mantendo o resultado até o final e conquistando mais um importante ponto.

Santa Cruz se fechou em duas linhas de quatro (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Divulgação/CSE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: