Dormindo como uma Coruja: análise Afogados 0 x 1 Sousa

Por: Ivan Mota

Previsível. Perdido em campo, o Afogados não conseguiu desempenhar bom futebol e perdeu do Sousa em seus domínios, indo da vice-liderança à terceira colocação no Grupo A3 da Série D do Campeonato Brasileiro. Único gol do jogo, realizado neste domingo (12) — no Vianão — pela 10ª rodada, foi marcado por Daniel Costa, de pênalti.

O Tricolor do Pajeú entrou em campo com quatro novidades da vitória sobre o Crato. Dim, que fez sua reestreia, ocupou o espaço de Guilherme, enquanto Thauã foi na vaga do suspenso Mattheus pela lateral esquerda. Isakiel voltou à titularidade depois de cumprir suspensão no lugar de Roberto, já Weverton entrou no espaço de Rogerinho, mantendo o 4-2-3-1.

Escalação inicial dos afogadenses contra os paraibanos (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Primeiro tempo de domínio do Afogados. Os tricolores criaram mais chances e tiveram a posse de bola. O lateral Thauã quase abriu o placar ao receber de Breninho, avançar pela esquerda e acertar bom chute cruzado, levando bastante perigo. O artilheiro Anderson Chaves também teve a oportunidade, mas parou em boa defesa do goleiro Ricardo.

Quando o Sousa conseguiu avançar, esbarrou na forte marcação da Coruja. Postada em um 4-1-4-1, com apenas Anderson Chaves no campo de ataque, o time pernambucano fechou bem os espaços, sendo incomodado somente em chutes de longa distância durante toda a primeira etapa.

Coruja se defendeu em um 4-1-4-1 (Imagem: InStat TV)

O goleiro Ricardo, dos visitantes, foi o principal responsável pela manutenção do placar zerado no primeiro tempo. O camisa 1 realizou boa intervenção em nova finalização de Anderson Chaves. Dessa vez, o atacante completou com bom cabeceio depois de escanteio levantado por Breninho, porém o arqueiro dos paraibanos espalmou.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Com a bola no pé e no campo de ataque, o Afogados formou seu 4-2-3-1 de base, tendo apoio de pelo menos um dos seus laterais. Weverton, Paulista e Breninho tiveram bastante liberdade no meio, variando o posicionamento e tentando sempre servir Anderson Chaves, contudo a primeira metade ficou zerada.

Afogados partiu para o ataque com 3+1 (Imagem: InStat TV)

A segunda etapa teve um início mais lento, com as duas equipes sem criar boas chances. Sem a bola, o Tricolor do Pajeú se postou num 4-5-1, seguindo tendo apenas o camisa 9 sem participar das ações defensivas. Uma ducha de água fria, entretanto, aconteceu aos 17 minutos, quando Iranilson avançou em velocidade, invadiu a grande área pela direita e foi derrubado por Thauã; a arbitragem marcou pênalti, cobrado exitosamente por Daniel Costa.

Pernambucanos postados no 4-5-1 sem a bola (Imagem: InStat TV)

Os minutos finais seguiram no marasmo de toda etapa final. Em vantagem no placar, o Dinossauro passou a controlar mais o jogo, se fechando bem e minando as tentativas ofensivas dos pernambucanos, garantindo a vitória em jogo que valeu a segunda colocação do Grupo A3.

Créditos da foto principal: Ítalo José/Afogados FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: