Ninguém chora, ninguém ri: análise Náutico 1 x 1 Sport

Por: Mateus Schuler

Ruim para ambos. Náutico e Sport protagonizaram mais um Clássico dos Clássicos na atual temporada e, dessa vez, nenhum dos dois pôde comemorar. Neste sábado (18), nos Aflitos, os arquirrivais mediram forças em confronto pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro e empataram por 1 x 1, com gols de Kayke a favor do Leão e Richard Franco pelo Timbu.

Para a partida, Roberto Fernandes realizou mudanças na equipe alvirrubra em todos os setores e no sistema tático. Da derrota para o Sampaio Corrêa, o Timba foi a campo sem Wellington, por suspensão, Thássio, Júnior Tavares, Djavan, Nascimento e Amarildo, tendo Carlão, Victor Ferraz, João Paulo, Ralph, Franco e Kieza, indo assim ao 3-5-2. Gilmar Dal Pozzo, por sua vez, manteve o time que empatou sem gols ante o Grêmio, tendo a volta de William Oliveira ao banco de reservas como única novidade entre os 11 iniciais; lateral-direito Ewerthon seguiu de fora com dores na coxa.

Escalações iniciais do Timba e dos leoninos (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

O duelo começou bastante movimentado dos dois lados, porém ambos sem ter poder criativo, tirando a emoção. Apesar de ter mais a bola, o Náutico não era eficiente no último terço, deixando o Sport acuado em seu próprio campo e fechando o máximo de espaços para evitar as infiltrações. Apostando mais no contra-ataque, o Leão conseguiu encontrar mais liberdade, mas também pouco criou.

Alternando entre 4-5-1 e 4-4-2 ao perderem a posse, os rubro-negros foram eficientes na marcação e bloquearam as investidas alvirrubras, ansiosos ao atacar. Assim, os visitantes tiveram a primeira boa chance: Jáderson recebeu de Kayke pela direita e chutou cruzado tentando encontrar um companheiro livre, sem ninguém surgir para completar. Depois, o próprio camisa 20 bateu desviando na defesa, caindo no pé do centroavante, que dominou e finalizou sobre o gol.

Solidez defensiva foi a marca da etapa inicial (Imagem: SporTV/Premiere)

De tanto insistirem, os leoninos tiveram a bola parada como alternativa para sair em vantagem e foram exitosos. Em falta cobrada na pequena área, Juba mandou na cabeça de Thyere, que acertou a trave; rebote sobrou na medida para Kayke, que apareceu com liberdade e cabeceou firme, sem dar chance a Lucas Perri.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Falho na pontaria, o Timba tentou conduzir as jogadas ainda na defesa com uma saída em 3+2, tendo a cabeça de área auxiliando o trio de zaga para a transição ser em jogo apoiado. Do meio para frente, houve uma alternância entre 3-4-3 e 3-5-2, variando conforme o posicionamento de Jean Carlos no setor ofensivo.

Início da transição dos donos da casa (Imagem: SporTV/Premiere)

Para o segundo tempo, Gilmar Dal Pozzo promoveu Naressi no lugar de Bruno Matias, permanecendo no sistema tático inicial. Ainda assim, a primeira boa oportunidade foi dos anfitriões, quando Jean Carlos cobrou falta com força e obrigou Maílson a fazer uma importante intervenção, mantendo a vantagem parcial.

Abdicando dos três zagueiros, Roberto Fernandes sacou João Paulo, Kieza e Rhaldney para as respectivas entradas de Júnior Tavares, Amarildo e Thássio. Já o comandante leonino, por sua vez, tirou Jáderson e colocou Thiago Lopes, fazendo a partida ficar ainda mais equilibrada. Isso gerou uma chance para cada lado. Pelo Timbu, o camisa 10 arrematou de longe e a bola saiu próxima à trave esquerda, enquanto o novo meio-campista rubro-negro aproveitou a saída errada da defesa rival e mandou rente ao poste direito.

Timbu controlou ímpetos do Leão (Imagem: SporTV/Premiere)

Tentando sacramentar o resultado, Dal Pozzo substituiu Búfalo e Bill por Kayke e Giovanni, formando assim um 4-3-3 alternado ao 4-2-3-1 com a posse de bola. Apesar disso, o time da Praça da Bandeira demonstrou uma fragilidade defensiva e os mandantes chegaram ao empate: Franco recebeu na entrada da área e bateu no canto, deixando tudo igual.

Nos minutos finais, Thiago Lopes teve duas novas oportunidades de ficar com a superioridade no marcador, entretanto não aproveitou. Na primeira, chutou em cima de Lucas Perri ao receber belo pivô de Búfalo, enquanto na segunda foi servido por Juba e emendou o chute sobre a barra. Pelo lado alvirrubro, a finalização veio de Jean Carlos, contudo Maílson afastou o perigo e garantiu o empate.

Rubro-negros pecaram nas finalizações na etapa final (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: