Caminhos divergentes: análise Afogados 1 x 1 Retrô

Por: Mateus Schuler

Opostos. Apesar de convergirem para o empate por 1 x 1 neste domingo (19), Afogados e Retrô terminaram em rotas diferentes no Grupo A3 da Série D do Campeonato Brasileiro. A Fênix saiu em vantagem pela partida da 10ª rodada com gol do artilheiro Mascote, enquanto Nunes deixou tudo igual para a Coruja.

O Tricolor do Pajeú foi a campo com três novidades entre os 11 iniciais, sendo por motivos distintos. Mattheus voltou à titularidade após cumprir suspensão na lateral esquerda, já Felipe ganhou a vaga de Paulista, que retornou para o Ferroviário, e Pedro Maycon estreou no lugar de Weverton. A Fênix, entretanto, teve Paraíba ao lado de Yuri Bigode substituindo Renan Dutra, suspenso por expulsão, e Rondinelly ocupando o espaço de Radsley por opção.

Escalações iniciais de afogadenses e retroenses (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida começou a mil por hora. O Afogados se atirou primeiro ao ataque, mas não foi efetivo na criação e, antes até do primeiro minuto, o Retrô furou o bloqueio quando o goleiro Jean bateu falta do campo de defesa, Mattheus falhou na marcação e Matheus Serafim fez cruzamento rasteiro de primeira na pequena área; Mascote apareceu no meio dos adversários e tocou para o gol.

O lado esquerdo defensivo dos afogadenses, pelo menos no início, deu sinais que seria a mina de ouro. Assim, os azulinos chegaram perto de ampliar com Gustavo Ermel, que cabeceou bola levantada por Serafim à queima-roupa e ficou na intervenção de Léo. Depois, no 4-3-3 característico ao atacar, a Fênix voltou a assustar os donos da casa: Pedro Costa levantou e Gelson assustou.

Time de Camaragibe foi superior no início (Imagem: InStat TV)

Quando tudo não parecia dar certo para os anfitriões, a situação piorou com a lesão de Pedro Maycon, sendo substituído por Nunes. O tempo, porém, fez a mudança surtir efeito positivo, pois a presença ofensiva foi ficando cada vez maior, saindo no 4+2 e formando o 4-2-3-1 de base já no setor ofensivo. Isso gerou um pênalti em cima de Breninho, que Anderson Chaves bateu e parou no goleiro Jean.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Ainda assim, a pressão persistiu e o empate foi alcançado antes mesmo dos times trocarem de lado. Felipe fez cruzamento pela direita e encontrou Nunes na pequena área, que cabeceou para o gol, deixando tudo igual e levando o confronto empatado para o intervalo, deixando o panorama em aberto para o segundo tempo.

Tricolor do Pajeú persistiu e chegou ao empate (Imagem: InStat TV)

A segunda metade da partida foi mais favorável aos mandantes, que foram ofensivos e buscaram a virada a todo tempo. Os retroenses voltaram com as entradas de Augusto Potiguar, Renato e Alencar nos lugares de Pedro Costa, Rondinelly e Charles, respectivamente, para dar novo fôlego. Apesar disso, os sertanejos tiveram a primeira boa chance: Mattheus pegou a sobra pelo lado esquerdo e chutou firme para defesa segura de Jean.

Se fechando num 4-5-1, a Coruja conseguiu neutralizar os ímpetos da Fênix, o que foi deixando a partida equilibrada e em aberto. Na última grande chance da etapa final, Nunes arriscou de longe tentando marcar seu segundo tento, porém Jean desviou e a bola foi no travessão; no rebote, o goleiro retroense defendeu e manteve o empate até o fim.

Afogadenses controlaram investidas azulinas durante segundo tempo (Imagem: InStat TV)

Créditos da foto principal: Ytalo Silva/Retrô FC Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: