A matemática do Santa Cruz para classificação na Série D

Por: Felipe Holanda, Ivan Mota e Mateus Schuler

Calculadora em três cores. A quatro rodadas do término da primeira fase, o Santa Cruz depende de suas próprias pernas para conquistar classificação ao mata-mata na Série D do Campeonato Brasileiro. Tricolor atualmente tem 12 pontos, precisando de mais oito para aniquilar quaisquer chances de eliminação no Grupo A4, ou seja, duas vitórias e dois empates.

Nesta análise, o Pernambutático lista as probabilidades do Mais Querido avançar à segunda fase, com números de sites especializados, um recorte das últimas atuações e o que pode ser feito para manter vivo o sonho do acesso à Série C.

CIÊNCIA EXATA

Objetivos bem definidos. Com o grupo embolado, tanto que todos os times ainda podem se classificar, os comandados de Marcelo Martelotte precisam se apegar à matemática para não depender de outros resultados nas últimas rodadas. Atualmente na quinta colocação, possuem 36,6% de chances de classificação; números são do site especializado “Chance de Gol”.

Probabilidades com base na classificação atual e de pontuação por vaga (Imagem: Reprodução)

Caso consiga três vitórias, o Tricolor do Arruda também teria motivos para comemorar. Para isso, precisa somar pontos o quanto antes, a começar pelo embate diante do Atlético-BA, na próxima segunda-feira (27) às 20h30, na Arena Cajueiro, válido pela 11ª rodada da primeira fase; com o triunfo, já entra no G-4.

CRESCIMENTO RECENTE

Subindo posições. Mesmo com a derrota frente ao Jacuipense, o atual momento do Santa Cruz ainda pode ser considerado positivo. Isso porque, nos último cinco jogos, somou oito pontos de 15 possíveis, acumulando um aproveitamento de 53,3%. Desde a chegada de Martelotte, a equipe ganhou mais corpo e passou a brigar diretamente pela classificação na chave.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

O principal modelo de jogo utilizado pelo treinador é o 4-2-3-1, tendo mais mobilidade pelas bordas do campo para chegar ao último terço. Por outro lado, o ataque não vem dando conta do recado, principalmente no último final de semana, quando Raphael Macena perdeu pelo menos dois gols feitos; tendência é que seu quase xará, Rafael Furtado, retorne diante do Carcará, pois volta de suspensão.

Postura dos corais em fase ofensiva (Imagem: InStat TV)

CAMINHO ATÉ O MATA-MATA

Três dos quatro adversários finais do Mais Querido estão momentaneamente no G-4. O único abaixo dos pernambucanos na tabela é o da próxima rodada, que é vice-lanterna. Os baianos, inclusive, foram derrotados, por 3 x 2, no Arruda, e fazem péssima campanha como mandantes, tendo apenas uma vitória atuando em seus domínios.

Depois o time retorna ao Recife para encarar a Juazeirense. Atual quarto colocado, o Cancão de Fogo derrotou o Santa Cruz por 1 x 0 no Adauto Moraes e pode chegar embalado para o duelo caso vença o Jacuipense neste sábado (25), também em Juazeiro. ASA, atual primeiro lugar do grupo, e Lagarto, vice-líder, serão os últimos confrontos, confirmando o difícil caminho pela classificação nas rodadas finais.

Com falhas defensivas gritantes na derrota contra o Jacupa, por 2 x 0, a Cobra precisará de atuações mais sólidas para poder conquistar seus objetivos. Tendo 11 gols sofridos em dez rodadas, o time de Marcelo Martelotte costuma se defender em duas linhas de quatro, num 4-4-2, fazendo os pontas voltarem para atuar ao lado dos volantes.

Compactação do Tricolor do Arruda sem a bola (Imagem: InStat TV)

HISTÓRICO

Para garantir vaga, o Mais Querido precisa chegar à faixa dos 20 pontos, ou seja, pode se dar ao luxo de perder ao menos uma partida, pois totalizaria 21 ao vencer as outras três. A pontuação, porém, não será inédita a um time classificado na primeira fase ao ficar abaixo dos 50% de aproveitamento. Em 2020 e 2021, únicas edições com oito times por chave até agora, Globo e Caxias nos grupos A3 e A8, respectivamente, avançaram acumulando 18 pontos cada, dois abaixo da meta coral.

Altos, Floresta, Mirassol e Novorizontino, que foram promovidos à Série C em 2020, terminaram a primeira fase com 30, 24, 26 e 31 pontos, nesta ordem. Já ABC, Aparecidense, Atlético-CE e Campinense, por sua vez, encerraram a fase inicial de 2021 somando 28, 28, 21 e 25, respectivamente. Todos somaram ao menos 50% do total, destacando a importância de ter campanha positiva.

Créditos da foto principal: Rafael Melo/Santa Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: