Fogueira sem brasa: análise Sport 0 x 0 Brusque

Por: Mateus Schuler

Fogo de palha. O Sport não fez valer o mando de campo e desperdiçou oportunidade de retornar ao G-4 na Série B do Campeonato Brasileiro, ficando no empate sem gols contra o Brusque neste sábado (25). A partida, válida pela 14ª rodada, marcou a volta do Leão à Ilha do Retiro, porém ainda assim foi insuficiente para somar três pontos.

Para o confronto frente aos catarinenses, o técnico Gilmar Dal Pozzo manteve o 4-2-3-1, mesmo desfalcado. Sem Ezequiel e Thyere, suspensos, assim como Jáderson, vetado por dores na coxa, o treinador teve o retorno de Ewerthon à titularidade após uma lesão muscular e deu espaço a Fábio Alemão e Thiago Lopes nas demais vagas, respectivamente, permanecendo ainda com Bruno Matias na cabeça de área ao lado de Fabinho e Kayke na referência.

Escalação inicial dos leoninos diante do Quadricolor (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida iniciou movimentada pelos dois lados, mas ambos sem demonstrar criatividade quando atacaram. Apesar de ter mais a bola, o Sport não achou espaços na marcação do Brusque e teve maior intensidade para conseguir tirar o zero do placar, sendo empurrado pelos torcedores; imposição pareceu não surtir efeito.

Alternando entre 4-2-3-1 de base e 4-3-3 ao terem a posse, os rubro-negros foram mais cautelosos e passaram a mostrar poder criativo. E foi justo numa troca de passes que chegaram perto de abrir vantagem: Bruno Matias abriu na esquerda para Juba, que tocou no meio para Giovanni finalizar e Jordan fazer boa defesa; na sequência, Fabinho soltou o pé e Jeferson Bahia afastou para escanteio.

Pernambucanos chegaram perigosamente no jogo apoiado (Imagem: SporTV/Premiere)

Sem ser efetivo quando chegou ao último terço, o Leão fez o duelo voltar a ter maior equilíbrio, pois o Marreco aparentou estar satisfeito pelo empate sem gols. Dessa maneira, a equipe passou a formar uma saída 3+2 para tentar ir ao setor ofensivo, buscando encontrar brechas entrelinhas, porém não teve eficiência.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Defensivamente, por outro lado, a efetividade foi maior, já que controlou bem os ímpetos do Quadricolor. Segurando o ritmo do adversário, a bola parada surgiu como uma alternativa para fazer alegria da torcida: Juba cobrou falta colocada da entrada da área e Jordan espalmou de lado, impedindo ainda o rebote de Fabinho.

Forte marcação leonina neutralizou os visitantes (Imagem: SporTV/Premiere)

Para o segundo tempo, Gilmar Dal Pozzo promoveu Naressi no lugar de Bruno Matias e Bill na vaga de Giovanni, permanecendo com o sistema tático inicial e Juba deslocado à armação. Ainda assim, os visitantes controlaram melhor o ritmo, deixando os donos da casa ansiosos quando tiveram a bola no pé, o que deixou a torcida nervosa pela baixa produtividade.

Mesmo tendo a posse, o Marreco não conseguiu levar perigo efetivo à meta de Maílson, já que a defesa passou a se postar num 4-5-1 para povoar mais o meio e fechar os espaços. Assim, foi o Leão quem conseguiu a primeira boa oportunidade da etapa final quando Juba levantou da direita e Fabinho deu o cabeceio no chão tentando confundir Jordan, mas o goleiro tirou no susto.

Rubro-negros controlaram investidas dos catarinenses (Imagem: SporTV/Premiere)

Logo na sequência, uma das chances mais claras da partida. Jeferson Bahia furou ao dar o chutão e Naressi, de frente ao gol, optou por tocar para Kayke em vez de chutar. Tentando sair à frente, Dal Pozzo colocou Búfalo e Blas nas vagas de Kayke e Fábio Alemão, formando assim um 4-3-3 com Fabinho ao lado de Sabino na zaga.

A intensidade se aliou à ansiedade e, nas vezes que chegou ao último terço, o Sport não conseguiu calibrar a pontaria. Na primeira participação, o meio-campista paraguaio serviu Bill, que finalizou com perigo; depois, ele recebeu de Búfalo e chutou rente à trave esquerda. Do meio para o final, Bill ainda foi servido por Búfalo pela direita, parando em boa intervenção do arqueiro rival, que garantiu o empate sem gols.

Anfitriões pecaram nas finalizações durante 45 minutos finais (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Anderson Stevens/Sport

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: