Sport na Série B: como joga taticamente o Cruzeiro

Por: Mateus Schuler

Força e astúcia. Precisando ser forte como um Leão e astucioso como uma Raposa, o Sport enfrenta o Cruzeiro para não cair em armadilhas e poder voltar ao G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Confronto diante dos celestes será nesta terça-feira (28) no Mineirão, às 21h30, válido pela 15ª rodada.

Separamos tudo sobre o adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais dos cruzeirenses.

O TIME

Líder isolado, mas com problemas na escalação. Em relação à equipe que foi a campo na derrota diante do Fluminense na Copa do Brasil, Paulo Pezzolano sinaliza mudanças, pois tem desfalques e retornos. No meio-campo, a maior novidade é a volta de Neto Moura, já que não pôde atuar por ter participado da competição nacional pelo Mirassol, enquanto Jajá é baixa por uma lesão muscular e Rafa Silva desfalca sentindo dores no pé; Rodolfo e Daniel Júnior disputam vaga no ataque.

Possível escalação dos mineiros frente aos leoninos (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

O topo da tabela não é por acaso. Dono do melhor ataque do torneio com 16 gols, o Cruzeiro tem evoluido de produção em comparação aos últimos dois anos que disputou a Segundona, principalmente após a chegada do técnico Paulo Pezzolano, sendo muito mais criativo ofensivamente. Não por acaso, é a terceira equipe no índice de finalizações, totalizando 197, sendo 58 no alvo.

Trio de zaga e goleiro participam intensamente da transição (Imagem: Brasileirão Play)

Por jogar com três zagueiros sob o comando do uruguaio, frequentemente o início das transições se dá em uma saída de 3, ora apoiada pelo goleiro, ora pelos volantes, a depender de como o adversário se poste. Do meio em diante, a intensidade é maior, sendo muito agressiva e formando o 3-4-3 de base, que faz os alas variarem entre bloco central e último terço, junto ao centroavante.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Jogadas são construídas geralmente pelas beiradas (Imagem: TV Globo)

“Time busca construir as jogadas desde o campo de defesa, o que gera poucas ligações diretas e apostas em jogo apoiado. Sem um camisa 10 de ofício, os meio-campistas ficam com a responsabilidade pela transição ofensiva, mas por vezes sem qualidade”

Sulimar Silva, repórter na Rádio Inconfidência

COMO DEFENDE

Dono da melhor defesa, os mineiros se sobressaem pela postura imposta por seu comandante. Dos cinco gols sofridos até então, quatro foram em contra-ataque, mostrando falhas na compactação durante a transição; o outro veio por meio de cobrança de pênalti. Mesmo assim, quando postado, o sistema defensivo cruzeirense consegue controlar bem as investidas, já que sofreram 123 finalizações contra sua própria meta, o menor número na competição.

Linha de 5 é a formatação mais comum nos celestes (Imagem: Brasileirão Play)

A tendência é que os cruzeirenses, ao se fecharem, formem uma linha de 5 e variando entre 5-3-2 — mais comum — e 5-4-1 ao ficarem sem a bola. Desse modo, o treinador tenta fechar o máximo de espaços para infiltrações rivais, principalmente entrelinhas. Outra alternativa, mais radical e remota, é ficar num 6-3-1, o que aconteceu mais em jogos fora de casa.

“A principal característica é fazer marcação pressão. Além de buscar recuperação da posse o mais rápido possível no pós-perda, o ataque e o meio marcam alto a saída de bola do adversário, no intuito de pressionar a transição, praticamente ficando dentro da área do goleiro”

Sulimar Silva, repórter na Rádio Inconfidência
Apenas o atacante de referência fica sem obrigações de marcar (Imagem: SporTV/Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

Rafael (GOL) – O muro. Titular em todos os jogos do Cruzeiro nesta Série B, o goleiro Rafael é um dos responsáveis pela Raposa ter a melhor defesa junto a Grêmio e Vasco. Vazado apenas cinco vezes em 13 rodadas, o arqueiro dos celestes retornou ao Brasil no começo da atual temporada após vários anos na Europa, onde defendeu Napoli, Sampdoria e Reading, assumindo rápido a titularidade e ganhando a confiança da torcida.

Neto Moura (MC) – Velho conhecido. Criado na base do Sport, Neto Moura deixou o Leão em 2019, sem deixar saudades para boa parte da torcida, mas boas atuações pelo Mirassol chamaram a atenção dos mineiros. Contratado em abril, o camisa 25 rapidamente se tornou titular e é um dos melhores da Série B, com três assistências em 12 jogos e grandes atuações pelo líder.

Edu (ATA) – O artilheiro. Aos 29 anos, Edu chegou ao Cruzeiro depois de ser o artilheiro da Série B em 2021, quando anotou 17 gols pelo Brusque. Pela equipe mineira, o centroavante segue mantendo seu faro, anotando cinco gols em 11 jogos nesta Segundona, além de ajudar em uma assistência. Conhecido pelo excelente posicionamento, o camisa 99 é a principal arma ofensiva do time.

Créditos da foto principal: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: