Gaiato no navio: análise Cruzeiro 2 x 1 Sport

Por: Mateus Schuler

Entrando pelo cano. O Sport até teve início mais astucioso, mas acabou perdendo para o Cruzeiro no Mineirão nesta terça-feira (28), de virada, por 2 x 1. A derrota, em confronto da 15ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, teve gol de Kayke abrindo vantagem, enquanto Sabino — contra — e Daniel Júnior fecharam o placar.

Para a partida contra os mineiros, o técnico interino César Lucena manteve o 4-2-3-1 em meio a desfalques e retornos. Sem Giovanni, suspenso, e tendo a volta de Thyere, o comandante optou pela manutenção do sistema tático de Gilmar Dal Pozzo, acionando Thiago Lopes como extremo na direita e Alan na armação.

Escalação inicial dos leoninos diante dos Celestes (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

A partida iniciou movimentada, mas totalmente favorável ao Cruzeiro, que saiu mais intensamente ao ataque, deixando o Sport bastante recuado. Com pouca criatividade para sair da defesa, o Leão viu a Raposa ser amplamente superior, criando a primeira boa oportunidade: Brock levantou pela esquerda e Edu cabeceou para intervenção segura de Maílson.

Formando um 4-4-2 alternado ao 4-5-1 quando ficou sem a bola, ocorrendo durante a maior parte da primeira metade da etapa inicial, os rubro-negros deram certa liberdade à equipe mineira para criação de jogadas. Apesar dos cruzeirenses terem a ligação direta de principal arma, não conseguiram dar muitos sustos.

Leoninos tiveram solidez durante boa parte do primeiro tempo (Imagem: Premiere)

Jogando de maneira reativa, os pernambucanos passaram a tentar explorar o erro dos Celestes no contra-ataque, formando um 4-3-3 quando esteve na transição. O primeiro lance mais eficiente foi fatal. Após desarmar no círculo central, Juba abriu para Kayke pela esquerda; o centroavante limpou para o meio e acertou belo chute, abrindo o placar.

Curtindo o conteúdo. Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Nem mesmo o gol sofrido abalou os donos da casa, que seguiram abafando o sistema defensivo leonino. Assim, chegaram ao empate numa infelicidade: Geovane cruzou na pequena área e Sabino cabeceou contra a própria meta, tirando de Maílson. Kayke ainda tentou em novo chute de fora da área, mas o goleiro adversário espalmou. Em sequência, Willian pegou um rebote livre da intermediária, a bola desviou e o camisa 1 fez o milagre. Depois, Daniel Júnior finalizou com toque em Ewerthon e a pelota morreu no fundo do barbante.

Proposta com a bola foram os contragolpes (Imagem: Premiere)

Para o segundo tempo, Alan acabou sendo sacado para a entrada de Blas, o que gerou uma modificação na formatação do time, deixando Fabinho como terceiro zagueiro. Dessa maneira, o jogo passou a ficar mais equilibrado, com o Sport sendo mais astucioso para buscar o empate, enquanto o Cruzeiro foi cauteloso e jogou no erro para sacramentar a vitória.

Ainda que aparecesse pouco no setor ofensivo, o Leão formou um 5-3-2 sem a posse e manteve os contra-ataques como arma para poder levar perigo. E foi dessa forma que, por duas vezes, quase igualou o placar. A primeira gerou mais susto, pois Juba achou bom passe para Thiago Lopes na pequena área, contudo o camisa 19 parou na intervenção de Rafael. Depois, Ewerthon deu o cruzamento na cabeça do armador, que testou mal e não aproveitou.

Rubro-negros formaram linha de 5 para controlar as investidas (Imagem: Premiere)

Os dois lances foram a gota d’água para César, que sacou Thiago e colocou Bill, mantendo a proposta. Inicialmente, a equipe pernambucana até teve a bola em seu domínio, entretanto faltou criatividade, tanto para a transição ofensiva, como na criação. Assim, o interino promoveu Ray Vanegas na vaga de Sander, deixando Juba como ala esquerdo, tentando assim o suspiro pelo empate.

Com novidades do meio para frente, o time da Praça da Bandeira passou a se postar no 3-4-3, tendo apenas os três defensores atrás do círculo central. Dessa maneira, tentou povoar ao máximo o setor ofensivo, inclusive quando Ewerthon foi sacado para Búfalo nos últimos minutos. Nem assim melhorou o poder criativo e a derrota se confirmou.

Leoninos tentaram inovar na fase ofensiva, mas sem sucesso (Imagem: Premiere)

Créditos da foto principal: Staff Images/Cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: