Repatriado: o que esperar taticamente de Souza no Náutico

Por: Felipe Holanda e Ivan Mota

Bem-vindo ao “Showza.” Uma década depois, Souza retorna ao Náutico para reeditar dias de glória e elevar patamar técnico do elenco alvirrubro no restante da temporada; novo contrato tem duração até o final de 2023. A informação foi divulgada inicialmente pelo GE e confirmada pelo Pernambutático.

Nesta análise, destrinchamos o que esperar do novo contratado, com principais características táticas, números, vídeos, um Raio-X da carreira, e como Souza pode se encaixar no esquema que Roberto Fernandes vem utilizando na Rosa e Silva.

PASSANDO A BOLA

Ao longo de sua carreira — parte dela pôde ser desfrutada in loco pelo torcedor do Náutico —, Souza sempre se destacou quando o assunto é passar a bola. Hoje aos 34 anos, segue preciso nas bolas longas, caindo como uma luva no esquema utilizado por Roberto Fernandes nos Aflitos, seja no 3-6-1 ou fazendo uma saída de 3 entre a dupla de zaga.

Saída de 3 com Souza no futebol árabe (Imagem: Arriyadiyah)

Em forma. Tendo atuado no último dia 26, Souza espera a abertura da janela de transferências, em 18 de julho, para poder fazer sua reestreia. Se aproveitado no 3-5-2, a tendência é atuar como volante ao lado de Victor Ferraz, mais como um camisa 5, à direita, e fazendo um jogo apoiado com os defensores, melhorando saída de bola alvirrubra.

Opção para Roberto considerando que o primeiro volante, Ralph, está lesionado (Feito no Tactical Pad)

Fazendo bem a função de construtor, Souza pode ser útil em caso de saída 4+2, caso Roberto resolva explorar uma linha inicial de 4, com dois zagueiros e dois laterais; estratégia foi utilizada nos primeiros jogos do comandante. Assim, o diálogo entre os meias e pontas seria mais efetivo, dando maior mobilidade aos blocos de ataque (veja vídeo de passes longos abaixo).

Outra possibilidade na escalação inicial é o 4-3-3, caso Roberto abra mão de sua trinca de zaga. Neste cenário, meio de campo ficaria mais criativo, com o novo contratado, Victor Ferraz, Richard Franco e Jean Carlos; futuro do camisa 10 na Rosa e Silva, porém, ainda é incerto. Fato é que Jean atua diante do Grêmio na próxima sexta-feira (8), em Porto Alegre.

Náutico numa opção a mais para escalar Souza (Feito no Tactical Pad)

CHEGANDO AO ATAQUE

Não é de hoje que Souza tem força e técnica para chegar no último terço e decidir os lances. Às vezes, pode tentar o arremate mesmo, obtendo êxito desde sua primeira passagem pelo Náutico, há 10 anos. A qualidade não passou com o tempo e o meio-campista fez vários gols dessa forma desde que deixou o país (veja vídeo com gols de fora da área abaixo).

Além de preciso nos chutes de longe com bola rolando, as cobranças de falta também são especialidade da casa. Souza vem tendo a finalização calibrada e mais eficiência que, inclusive, dos tempos de Náutico, quando marcou 14 gols na temporada, sendo sete no Campeonato Pernambucano e outros sete no Brasileirão da Série A, quando o Timbu fez boa campanha e conseguiu classificação à Sul-Americana.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Novas facetas. Tendo a saída para o jogo como principal trunfo no brasileiro, Souza evoluiu no exterior em quesitos defensivos. Pelo Khor Fakkan-EAU, a depender da situação de jogo, já fez função de volante de primeiro combate, marcando o meia criativo adversário ou um dos volantes, num 4-5-1 sem a bola.

Souza no desarme diante do Al Sharjah (Imagem: AD Sports)

RAIO-X DA CARREIRA

Elierce Barbosa de Souza é natural de Posse, cidade do interior de Goiás. Após passagem pela base do Atlético-GO, deu seus primeiros passos como profissional em clubes menores do Distrito Federal. Em 2008, pelo Dom Pedro II foi um dos destaques do Campeonato Brasiliense, sendo contratado para atuar no Sub-20 do Palmeiras, no qual manteve as boas atuações, além de promovido rapidamente ao time profissional pelo treinador Vanderlei Luxemburgo.

Após 29 partidas da Série A e cinco da Libertadores em 2009 pelo Porco, acabou perdendo espaço e rodou por alguns clubes, como Ponte Preta e São Caetano, até chegar ao Náutico em 2012. Pelo Timbu, foram 53 jogos e 14 gols, caindo nas graças da torcida e sendo peça-chave na grande campanha do time no Campeonato Brasileiro, deixando os alvirrubros na 12ª posição geral.

No ano seguinte retornou ao Palmeiras, onde mais uma vez acabou sendo emprestado, dessa para o Cruzeiro, clube que o contratou em definitivo após fim de seu vínculo com clube de São Paulo. Na Raposa, Souza fez parte do elenco bicampeão Brasileiro de 2013 e 2014, além de conquistar o Campeonato Mineiro também em 2013, atuando em um total de 31 partidas e marcando quatro gols; terminou aquela temporada com empréstimo para o Santos, onde disputou o restante da Série A pelo alvinegro praiano.

Em 2015 voltou a apresentar um bom futebol e atuar com regularidade pelo Bahia. Além de ser campeão estadual, disputou 50 partidas e foi às redes em 10 ocasiões. Apesar de não ter conquistado o acesso à elite, chamou a atenção do futebol japonês, sendo contratado pelo Cerezo Osaka no ano seguinte. Foi lá onde se tornou ídolo e atuou por quatro temporadas, conquistando a Copa da J-League e a Copa do Imperador em 2017, somando mais de 100 partidas e 28 gols.

Antes de retornar ao Timbu, após 10 anos de sua grande passagem em 2012, ainda passou pelo Al Ettifaq-ASA entre 2019 e 2021, acumulando seis tentos e oito assistências em 66 jogos. Em 2020, defendeu o Khor Fakkan-EAU, onde disputou 12 confrontos, balançando as redes duas vezes e servindo os companheiros por quatro vezes.

Créditos da foto principal: Reprodução/Instagram

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: