Sem clima: análise Sport 0 x 0 Vila Nova

Por: Ivan Mota

Sob vaias. Em nova atuação ruim do setor ofensivo, o Sport empatou sem gols diante do Vila Nova nesta segunda-feira (18) e segue distante do G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Em partida disputada na Ilha do Retiro, pela 19ª rodada, os rubro-negros tropeçaram no lanterna, com direito a xingamentos destinados ao treinador Lisca.

Em seu possível último jogo pelo Leão, o técnico tentou repetir o mesmo time que empatou em 0 x 0 com o Operário na última rodada, mas não conseguiu já que o lateral-direito Ewerthon não se recuperou a tempo de lesão na coxa direita. Ezequiel entrou em sua vaga. Assim, Ray Vanegas seguiu atuando na referência do ataque, ficando ao lado de Thiago Lopes e Juba.

Formação inicial dos leoninos para duelo na Ilha do Retiro (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Começo ofensivo. Com muito mais posse de bola, o Sport chegou ao campo de ataque levando todos seus jogadores, postado num 3-5-2 tendo Ronaldo atuando entre os zagueiros e Thiago Lopes ao lado de Vanegas, dando maior liberdade aos alas. Mesmo assim, as primeiras finalizações do Leão surgiram em chutes de longa distância com Ronaldo e Sabino.

Imposição leonina sem ninguém atrás do círculo central (Imagem: SporTV/Premiere)

Com o passar dos minutos, as chances foram melhorando, porém a falta de pontaria do ataque pernambucano continuou. Juba dominou cruzamento de Ezequiel já na grande área, mas acabou finalizando em cima do goleiro Tony. Deixando os goianos muito acuados, o Sport permaneceu intenso na pressão e rondou o campo defensivo adversário, ainda que tivesse muita dificuldade na criação.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

As outras duas boas chances do primeiro tempo surgiram pelos pés de Ray Vanegas. Aos 33 minutos, o atacante fez grande jogada pelo lado esquerdo, se livrou da marcação com bonito corte e finalizou no travessão. Um minuto depois, o colombiano recebeu na grande área, girou com muita categoria e mandou a bola raspando na trave. O Tigre, que só chutou aos 38 minutos em arremate sem direção de Riquelme, chegou poucas vezes ao setor defensivo rubro-negro, que se fechou num 4-5-1, tendo Juba e Thiago Lopes fechando a segunda linha ao lado dos três volantes.

Compactação em blocos médios dos donos da casa (Imagem: SporTV/Premiere)

Com a entrada de Paulinho na vaga de Blas no retorno ao segundo tempo, o Sport deu sinais de maior ofensividade e mais jogadas ofensivas. Porém, não foi o que se viu. Errando muitos passes e desorganizado, a melhor chance de gol aconteceu pelo próprio Paulinho, após completar de cabeça o passe de Fábio Alemão, mas Alex Silva tirou em cima da linha.

Assim, Lisca promoveu mudança tripla, colocando Denner, Jaderson e Búfalo em campo, buscando uma pressão final para abrir o placar. Terminando a partida com 74% de posse, o Leão seguiu desorganizado do meio para frente e não conseguiu levar perigo real ao goleiro Tony. Nos minutos finais, ainda se postou num 3-4-3, tendo Fabinho e Sander atuando como alas ao lado de Juba e Denner no meio-campo, contudo o zero se manteve até o apito final.

Pressão sem sucesso dos pernambucanos na etapa final (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Rafael Bandeira/SCR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: