Mata-leão: análise Sampaio Corrêa 4 x 1 Sport

Por: Mateus Schuler

Finalizado. Sonolento, o Sport foi posto para dormir pelo Sampaio Corrêa e chegou ao terceiro confronto consecutivo sem vencer na Série B do Campeonato Brasileiro, sendo goleado por 4 x 1. Em jogo pela abertura da 20ª rodada no Castelão, em São Luís, o Leão perdeu com gols marcados por Poveda, duas vezes, Ygor Catatau e Rafael Costa nesta sexta-feira (22); Kayke fez o de honra.

Para o confronto, a equipe rubro-negra foi comandada por César Lucena de maneira interina, além de ter outras mudanças entre os 11 iniciais. A primeira delas no gol, com Carlos Eduardo assumindo a vaga de Maílson, ausente por ter negociado a saída, enquanto Fábio Alemão substituiu o lesionado Thyere e Bruno Matias ganhou o lugar do suspenso Ronaldo. No ataque, Kayke voltou à titularidade e Vanegas ficou como opção entre os reservas, mantendo o 4-3-3 nos pernambucanos.

Formação inicial dos leoninos contra os maranhenses (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Sonolento. Em ritmo extremamente preguiçoso, o Sport começou o jogo sem atenção e dando espaços para chegadas do Sampaio Corrêa. Desse modo, viu o adversário sair em vantagem no placar antes mesmo dos primeiros 10 minutos: Pimentinha recebeu pela direita e cruzou de esquerda para Poveda, que aproveitou descuido de Fábio Alemão e cabeceou para o gol.

Apresentando fragilidades mesmo postado num 4-1-4-1, o Leão permaneceu falho ao ficar em fase defensiva, já que permitiu muitas trocas de passes por dentro. Ao mesmo tempo, pecou na transição ofensiva e sequer conseguiu ir ao ataque, fazendo o goleiro adversário ser praticamente mero espectador no início.

Tentativa de compactação para segurar o Paio (Imagem: SporTV/Premiere)

Foram raras as investidas dos rubro-negras, mas sem mostrar a intensidade de outrora. Ainda assim, foi criada uma boa oportunidade para dar susto nos maranhenses: Sander recebeu pela esquerda e fez cruzamento preciso para Kayke, que cabeceou levando perigo; impedimento, entretanto, já havia sido assinalado.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Nesses poucos momentos em que passou pelo círculo central sob a posse, o time pernambucano manteve seu 4-3-3 de base, fazendo a construção pelo meio usando os meio-campistas. O trio de frente ficou muito próximo, o que dificultou ainda mais na criação de finalizações. Assim o castigo veio logo na sequência. Pará levantou escanteio no meio da área e Ygor Catatau deu um belo cabeceio, tirando de Carlos Eduardo.

Leão manteve o sistema tático ao atacar (Imagem: SporTV/Premiere)

Para a etapa final, César voltou com duas mexidas, ambas no setor ofensivo no intuito de corrigir os problemas demonstrados. Thiago Lopes e Blas, pouco produtivos, tiveram Everton Felipe e Giovanni nos seus lugares, modificando a tática-base ao 4-2-3-1. Apesar disso, a bola parada surgiu como alternativa e colheu bons frutos: Giovanni cobrou falta lateral e Kayke, atento, desviou a trajetória direto para o fundo da rede.

Mostrando maior volume de jogo, a equipe da Praça da Bandeira conseguiu ser mais criativa do que antes, porém ainda pecou quando teve a posse e os maranhenses neutralizaram. Para dar mais fluidez ao meio-campo, o técnico interino do Leão promoveu a entrada de Denner na vaga de Bruno Matias, no entanto os planos foram por água abaixo logo em seguida.

Configuração ofensiva rubro-negra durante segundo tempo (Imagem: SporTV/Premiere)

Falhos no último terço, os rubro-negros ficaram em desvantagem numérica num descuido defensivo. Após saída errada de Juba, Mateusinho recebeu o lançamento e Fábio Alemão o derrubou, sendo expulso. Poveda cobrou com força e segurança, praticamente fechando o caixão e encerrando quaisquer chances de reação.

Apesar do resultado quase sacramentado, Juba ainda chutou de longe para fazer mais um, contudo a bola saiu perto da trave direita. O treinador leonino fez suas últimas duas mudanças, colocando William Oliveira e Vanegas nas vagas de Juba e Kayke, mas sem êxito. Ainda teve tempo de Rafael Costa, de fora da área, marcar o quarto e transformar a vitória em goleada.

Tentativa de compactação com duas linhas de 4 na reta final (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Rafael Bandeira/SCR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: