Náutico na Série B: como joga taticamente o Londrina

Por: Felipe Holanda e Ivan Mota

Primeiro passo. Na estreia de Elano, o Náutico recebe o Londrina para voltar a vencer e remar contra as ondas do rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. Partida acontece neste sábado (23) às 18h30, sendo válido pela 20ª rodada da Segundona, nos Aflitos; Timbu atualmente é 18º colocado, com 18 pontos.

Separamos tudo sobre o próximo adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho e muito mais do Tubarão.

O TIME

No confronto diante dos pernambucanos, o técnico Adilson Batista ainda não tem a escalação titular confirmada, deixando uma dúvida. Em relação aos 11 que iniciaram contra o Sampaio Corrêa, na última rodada, são dois ausentes de certeza: lateral-direito Samuel Santos e zagueiro Saimon, vetado por lesão e suspenso, respectivamente. Do meio para frente, Gabriel Santos e Mandaca disputam a vaga, o que determinará o posicionamento de Gegê no 4-3-3 do LEC.

Distribuição tática dos paranaenses frente ao Timba (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Meio a meio. Com 19 gols marcados e saldo de zero, o Londrina costuma ser objetivo no terço final, buscando espaços para arrematar em gol. A principal estratégia paranaense é explorar um 4-3-3 dando toques rápidos na bola no intuito de confundir a marcação adversária, ora abrindo à esquerda, ora pela direita.

Tubarão busca manter a tática-base ao atacar (Imagem: SporTV/Premiere)

Em momentos de transição ofensiva, o time de Adilson pode formar também um 4-2-3-1, tendo os extremos responsáveis pela amplitude. Neste cenário, o time busca a criação mais por dentro, deixando os laterais mais retraídos em seu campo ao lado dos zagueiros, mas tendo o centroavante auxiliando seus companheiros de ataque fazendo pivôs.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Opção dos paranaenses já no campo ofensivo (Imagem: Premiere)

“Por conta da dúvida que ainda existe, Adilson parece trabalhar com dois sistemas diferentes para começar. Assim, a distribuição das peças no campo ofensivo dependem diretamente das escolhas dele para o jogo”

Danilo Veiga, repórter no RadioLEC

COMO DEFENDE

Com números idênticos ao de ataque, a defesa do Londrina ainda busca ter o modelo ideal de jogo para ter maior segurança. Geralmente se fecha num esquema formado por duas linhas de 4, tendo o 4-4-2 como mais frequente, e podendo variar ainda ao 4-5-1, preenchendo o meio e controlando melhor as subidas dos extremos adversários.

Compactação defensiva do LEC no seu campo (Imagem: SporTV/Premiere)

Dessa maneira, ainda há uma remota possibilidade da equipe performar no 4-1-4-1, tentando deixar um volante mais marcador para evitar infiltrações pelo meio da marcação. Apesar disso, os azulinos ainda deixam brechas na entrelinha, o que permite ao adversário uma maior imposição quando tem a bola.

“O time aposta muito nessas duas linhas ao ficar na defesa. É a principal postura, que busca fechar o máximo de espaços e tenta neutralizar as jogadas adversárias. Se jogar com três volantes, a tendência é povoar bastante o meio-campo e impedir a troca de passes”

Danilo Veiga, repórter no RadioLEC
Tubarão costuma ficar em blocos médios sem a posse (Imagem: Premiere)

PARA FICAR DE OLHO

João Paulo (VOL) – Capitão. O experiente volante de 37 anos foi contratado pelo Tubarão ao final da última temporada e rapidamente se tornou peça-chave no elenco. Titular em 18 das 19 rodadas do primeiro turno, João Paulo ajuda na defesa, mas também se destaca ofensivamente, já tendo marcado três e dado uma assistência na Série B, além de ser responsável pelas bolas paradas.

Caprini (PD) – Velocidade de lado. Também desde 2021 no Londrina, Caprini é um dos líderes de assistência do Tubarão na Segundona, com três passes para gol, balançando as redes por duas vezes. Titular em todos os jogos até o momento, o jogador de 24 anos tem atuado pela ponta direita do ataque, sempre dando trabalho aos defensores e chegando na grande área para as finalizações.

Douglas Coutinho (ATA) – Força física. Revelado pelo Athletico Paranaense, Coutinho surgiu como uma grande promessa, mas acabou não rendendo o esperado. Agora aos 28 anos, chegou ao time no começo da temporada no intuito de recuperar o bom futebol. É o jogador com mais participação direta em gols da equipe, dando três assistências e marcando outras três vezes.

Créditos da foto principal: Sheyla Dantas/Londrina EC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: