Apagado: análise Náutico 0 x 1 Botafogo

Por: Mateus Schuler

Sem fogo. Pouco efetivo em campo, o Náutico chegou à quarta derrota em quatro jogos ao perder para o Botafogo, por 1 x 0, e praticamente está eliminado do Brasileirão de Aspirantes. Timbu foi derrotado nesta quinta-feira (28), com gol de Daniel Cruz, nos Aflitos em partida pela quarta rodada.

Muitas novidades. O Timba entrou modificado, mesmo mantendo o sistema tático, tendo a volta de Brunão como parceiro de Diego na zaga. Além disso, Willian Gaúcho entrou no meio-campo fazendo a cabeça de área ao lado de Mateus Cocão, enquanto Tagarela auxiliou Thássio e Lucas Paraíba no setor de criação; Kauan ocupou a referência do ataque.

Escalação inicial dos alvirrubros frente aos alvinegros (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Comandado por Thiago Souza após demissão de Dudu Capixaba, o Náutico iniciou o jogo mais cauteloso, apesar de atuar como mandante. Por conta da postura reativa, buscou usar o contra-ataque para tentar chegar ao ataque e assim levar perigo, já que apenas a vitória daria sobrevida na competição nacional.

Por ter pouca posse, o Timbu controlou o ritmo das investidas botafoguenses formando um 4-4-2, deixando o meio-campo povoado e fechando espaços para infiltrações e neutralizando a criação do Botafogo. O primeiro lance veio quando Thássio tentou cruzar pela direita, mas a marcação desviou e Kauan cabeceou; bola bateu no travessão e saiu pela linha de fundo.

Forte marcação dos pernambucanos em duas linhas de 4 (Imagem: TV FPF)

Pouco produtivo ofensivamente ao longo de toda etapa inicial, o Timba teve duas mudanças no intervalo para tentar melhorar sua criatividade. Kauan e Lucas Paraíba foram sacados, tendo Kayon e Pedro acionados nos lugares, respectivamente, mantendo ainda a composição tática e buscando maior velocidade no ataque.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

As substituições até deram nova dinâmica ao setor ofensivo alvirrubro, o que passou a dar mais mobilidade e poder criativo para levar perigo à meta dos alvinegros. Em um dos lances, Luan levantou na pequena área e Tagarela, de cabeça, desviou e parou no goleiro Leandro. Foi uma das investidas no 4-2-3-1 de base.

Manutenção da tática-base ao tentar agredir os cariocas (Imagem: TV FPF)

Para aumentar a ofensividade, o comandante do Náutico promoveu entrada de Léo Gomes na vaga de Tagarela. Logo no primeiro momento em campo, o jogador alvirrubro quase abriu o placar após receber lançamento do goleiro Bruno em contra-ataque na direita, limpou para a esquerda e finalizou forte, mas parou em defesa do goleiro adversário.

O golpe veio na sequência. Joffre foi servido pela esquerda, levantou na área e encontrou Daniel Cruz, que emendou de primeira, sem deixar a bola cair no chão. Pedro ainda recebeu de Léo Gomes e arrematou na saída do arqueiro alvinegro, que desviou com a ponta dos dedos e evitou o empate, impedindo os donos da casa de pontuarem pela primeira vez na competição.

Compactação defensiva dos pernambucanos durante etapa final (Imagem: TV FPF)

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: