Amor à primeira vista: o que esperar taticamente de Vagner Love no Sport

Por: Ivan Mota e Mateus Schuler

Só Love. Precisando solucionar os problemas do ataque, o Sport trouxe um reforço de peso para a continuidade da Série B do Campeonato Brasileiro. Trata-se do atacante Vagner Love, que possui títulos mundo afora e pela Seleção Brasileira; contrato do ex-jogador do Midtjylland-DIN vai até o fim da temporada.

Nesta análise, o Pernambutático destrincha taticamente as principais características do goleador, com posicionamentos, números e tudo que se pode esperar da passagem de Love pela Ilha do Retiro.

ATAQUE

Em sua passagem pelo Sport, Vagner Love deve atuar na função de um clássico camisa 9, atuando centralizado no comando de ataque. O jogador de 38 anos tem essa como sua função principal, onde fez valer de uma de suas principais características: o bom posicionamento para vencer as defesas adversárias e receber passes em condição de finalização. Apesar de não ser muito alto, com 1,77m de altura, também costumou deixar seus gols de cabeça ao longo da carreira e fazendo bem o pivô quando atua na referência.

Love atuando como homem de referência pelo Timão (Imagem: TV Globo)

Com muita mobilidade, Love pode surgir em vários setores ofensivos, incluindo o meio de campo, onde atua praticamente como um meia armador. Tal função aconteceu no 4-2-3-1 quando esteve no Kairat, do Cazaquistão, em partida da Uefa Conference League, e isso pode explicar também o bom número de assistências que tem na carreira, mesmo atuando prioritariamente como um fazedor de gols.

Vagner auxiliando na criação dos cazaques (Imagem: Football UA)

Em momentos específicos do jogo, o novo contratado do Leão pode atuar como segundo atacante, como o próprio camisa 99 relatou na coletiva de apresentação ao clube. Assim, pode alternar entre referência e criação. Isso pode acontecer em um possível cenário de desvantagem no placar, quando o time possa atuar tendo dois centroavantes, conforme ocorreu nesse 4-2-4 contra o PSG, nos tempos que Love passou no Monaco.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Jogador alternando entre referência e criação pelos monegascos (Imagem: Ligue 1)

DEFESA

Apesar de ser conhecido como artilheiro, Vagner Love também pode ajudar na marcação, voltando para recompor quando necessário. Em mais um lance pela equipe cazaque, que atuava majoritariamente com uma linha de cinco defensiva, algo que o rubro-negro também pode utilizar durante determinadas ocasiões, o atacante auxilia ao fechar os espaços num 5-3-2.

Centroavante fazendo a recomposição mais adiantado (Imagem: Football UA)

O artilheiro do amor também pode realizar uma função mais direta na marcação, já buscando recuperar a posse de bola na saída de jogo do adversário, ainda no campo de ataque. Com isso, pode em alguns momentos ajudar na formação da segunda linha, dando um combate direto pelo lado direito, setor onde também já atuou, como ponta.

Atacante caindo pela beirada em transição defensiva (Imagem: Football UA)

POSSÍVEIS FORMAÇÕES

Em sua estreia pelo Sport, a vitória por 2 x 1 sobre o Guarani, Claudinei Oliveira armou o time em um 4-2-3-1 clássico, com dois volantes, um meia de armação e dois pontas. Dessa maneira, a tendência é de que o novo treinador leonino mantenha a formação e Vagner Love seja utilizado como atacante de referência, posição carente do Leão na Série B, já que Búfalo e Kayke ainda não conseguiram se firmar como titulares absolutos.

Love postado como centroavante no 4-2-3-1 de Claudinei (Feito no Tactical Pad)

Outra opção já utilizada pelo técnico em sua carreira é armar o time num 4-3-3, podendo jogar com três volantes, ou tendo o meia de criação, como Denner, atuando mais recuado, dando mais estabilidade defensiva. Ainda assim, Love deve seguir em sua posição de origem, atuando centralizado no ataque ao lado dos pontas.

Leão montado em um 4-3-3 com Vagner Love no comando de ataque (Feito no Tactical Pad)

QUEM É VAGNER LOVE?

Goleador nato. Revelado pelo Palmeiras em 2003, conquistou logo de cara o acesso à elite do futebol brasileiro e a artilharia com 19, deixando justamente o Leão para trás. No ano seguinte, se transfere ao CSKA Moscow e garante – mesmo sendo reserva – a Copa América, o que voltaria a se repetir três anos depois já como titular.

No clube russo consegue a idolatria, sendo campeão de dois Campeonatos Russos, cinco Copas da Rússia e de três Supercopas da Rússia. O maior título, porém, foi a Copa da Uefa – hoje Europa League – logo em sua chegada, na temporada 2004-05, o primeiro continental do país. Assim, acaba retornando ao Verdão em 2009, mas sem repetir a boa fase de outrora.

Defendeu ainda o Flamengo em 2010 e 2012, balançando as redes principalmente neste último ano. Além de artilheiro flamenguista com 24 gols, teve um deles como o que rebaixou o alviverde paulista à Série B. Passou também por Shandong Luneng-CHN, Corinthians, Monaco, Alanyaspor e Beşiktaş.

Mais recentemente, antes de ser contratado pelo Sport, defendeu as cores de times de um mercado mais alternativo. Love atuou no Kairat, do Cazaquistão, marcando 27 vezes em 57 partidas, assim como fez um tento ao longo de 10 jogos pelo Midtjylland, da Dinamarca.

Créditos da arte principal: MVN Designers

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: