Náutico na Série B: como joga taticamente o Operário

Por: Gabryele Martins

Construção. Precisando vencer como se fosse o último jogo, o Náutico visita o Operário para tentar respirar na Série B do Campeonato Brasileiro e construir relação mais sólida com a torcida. Duelo do Timbu contra o Fantasma será nesta sexta-feira (4) no Germano Krüger, às 19h, em Ponta Grossa pela 22ª rodada.

Separamos tudo sobre o adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de setoristas, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Fantasma.

O TIME

Matheus Costa foi anunciado como substituto de Claudinei Oliveira e ficou à frente do comando alvinegro por apenas uma vez, a derrota por 3×0 contra a Ponte Preta. Precisando vencer a partida diante do Timba, o treinador deverá contar com a volta do meia Fernando Neto aos relacionados após lesão, tal como a estreia do volante Michel. André Lima e Silvinho, antes titulares, não fazem mais parte do elenco, tendo a possibilidade de até cinco mexidas em relação à estreia.

Provável escalação inicial dos paranaenses frente ao Timba (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Mesmo atual 16º colocado na Série B, com 21 pontos, o Operário já marcou 19 vezes em 21 jogos, tendo média de quase um gol. Do total de 248 finalizações no campeonato – finalizando 11,8 vezes por partida – até agora, o time chuta bastante na meta adversária, mas tem uma precisão de apenas 31,45%, que contabiliza 78 finalizações certas.

Saída de bola do Fantasma em 4+1 (Imagem: Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Para criar a jogadas no setor ofensivo, os alvinegros formam saída em 4+1 e um dos volantes apoiando laterais e zagueiros. Depois do meio, a equipe usa um 4-3-3 tendo duas linhas de 3 para criar e concluir as jogadas ofensivas, e auxiliado pelos lados. O primeiro trio é composto pelos volantes e um meia armador, já o segundo tem três atacantes, onde dois caem para as pontas e um faz a função de centroavante.

Postura ofensiva do Operário tem muitos jogadores do meio pra frente (Imagem: Premiere)

“O Operário teve mudanças (em relação ao primeiro turno) primeiro com a troca do técnico, pela demissão de Claudinei Oliveira após sequência ruim de resultados e de desempenho do time, que está bem abaixo. Diretoria optou em recontratar o Matheus Costa, que foi demitido em junho do ano passado”

Letícia Cabral, editora da RPC TV

COMO DEFENDE

Apesar de ter um goleiro experiente e confiável, a defesa do Operário, como um todo, não é eficiente e apresenta muitas fragilidades. A apenas um ponto do primeiro time dentro da zona de rebaixamento, os paranaenses têm uma média de 26 gols tomados em 21 jogos, portanto, mais de um gol por partida nesta Segundona.

Composição do OFEC durante fase defensiva (Imagem: Premiere)

Quando perdem a bola, os alvinegros apostam na marcação que faz o meio ficar mais povoado, formando um 4-5-1, deixando apenas o centroavante à frente. Outra alternativa é ficar em duas linhas de 4 para impedir o avanço e, assim, ter ainda uma dupla ofensiva mais adiantada para criar situações de contra-ataque.

Defesa paranaense compactada em duas linhas de 4 (Imagem: Premiere)

“Mesmo com um excelente goleiro, o time joga muito aberto, sem um volante de marcação, aí sobrecarrega demais o Ricardinho (e por isso a defesa é tão vazada). Mas amanhã deve estrear o Michel, que também é volante e o time titular deve ter cinco alterações em relação ao último jogo”

Dudu Guimarães, repórter na Rádio Lagoa Dourada.

PARA FICAR DE OLHO

Vanderlei (GOL)- Paredão. O experiente arqueiro do Operário tem feito boas defesas na série B. Além de pegar um pênalti, o jogador de 1,95m defendeu 56 vezes em 20 jogos. Ele lida bem com chutes de longe, o que pode ser um empecilho para a bola parada do Timba, além de agregar à equipe com sua vasta experiência.

Tomas Bastos (MEI) – Garçom. Pelo seu habitual passe preciso, criou 17 boas chances em 15 partidas jogadas, pouco mais de uma por jogo. Dois desses passes para seus companheiros de time originaram gols, fazendo do jogador o garçom oficial do Operário na competição nacional; é responsável ainda pela bola parada.

Paulo Sérgio (CA) – Artilheiro. Com nove gols na temporada, sendo quatro na Segundona, o atacante de 33 anos é artilheiro do Fantasma. Ele já esteve em campo por 17 partidas e, além de atuar como centroavante, pode cair para a beirada caso necessário e tem uma bola longa efetiva, mostrando constante movimentação.

Créditos da foto principal: André Jonsson/OFEC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: