Sport na Série B: como joga taticamente o CSA

Por: Mateus Schuler

Olha o mapa e segue o rumo das vitórias. Assim como um marujo, o Sport precisa fugir das marés cheias para não se afogar em má fase diante do CSA, na Arena de Pernambuco. Em confronto a ser disputado neste sábado (13), às 16h, o Leão recebe os alagoanos pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Separamos tudo sobre o adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Azulão.

O TIME

Para o confronto com os leoninos, a principal alteração será fora das quatro linhas. Recém-contratado, o técnico Roberto Fernandes ainda não fará o seu primeiro jogo na equipe azulina por ser punido em duas partidas e não pode comandar, tendo desfalques do goleiro Marcelo Carné, que foi expulso e terá de cumprir suspensão, assim como o volante Geovane pelo terceiro amarelo. Jean ganha vaga na meta, enquanto Giva e Lourenço disputam um espaço na cabeça de área; Jonathan e Igor concorrem pela lateral direita no 4-3-3, já o zagueiro Wellington foi negociado ao Avaí.

Provável escalação ainda sem a presença de Roberto Fernandes (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Ocupando uma das posições na zona de rebaixamento, o CSA tem o ataque pouco produtivo, o que explica a situação ruim na tabela. Dos 23 confrontos disputados, marcou apenas 15 gols, sendo o segundo mais negativo, à frente somente de Guarani e Vila Nova, vice-lanterna e lanterna, nesta ordem na classificação.

Manutenção da tática-base é a principal formação ofensiva (Imagem: SporTV/Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Nas últimas partidas, o Azulão costuma usar o próprio 4-3-3 de base para ir ao campo ofensivo, tendo auxílio dos meio-campistas aos laterais quando a criação flui por dentro. Quando os alagoanos criam pelos lados, os alas dão amplitude, fazendo o time se postar num 4-2-3-1 com a trinca jogando entre a cabeça de área e o centroavante.

Laterais azulinos participam das jogadas no ataque (Imagem: Premiere)

“Diferente do jogo contra o Brusque, quando precisava propor, a equipe maruja tende a entrar em campo com postura mais cautelosa. Nas vezes em que aparecer no campo ofensivo, os meias criarão por dentro e optarão por utilizar o centroavante como pivô ou preferir ter os pontas em triangulação junto aos laterais. É certo que o jogo aéreo, para tentar levar perigo, será usado”

Taynã Melo, editor da VAVEL Brasil

COMO DEFENDE

A defesa também será dor de cabeça para Roberto Fernandes. Dos 23 jogos até o momento, o Marujo sofreu 22 gols — média de quase um — e só não foi vazado em sete vezes. Além disso, é o terceiro time que teve mais chutes em direção à sua meta — total de 327 — e o quarto nas finalizações certas, com 111, gerando quase 34% de aproveitamento dos adversários.

Compactação em duas linhas dos alagoanos (Imagem: Premiere)

Quando estão sem a posse, alternam constantemente entre 4-4-2 e 4-5-1, e se postam em blocos médio/baixos, tentando fechar o máximo de espaços para evitar infiltrações adversárias. Em caso mais radical, os azulinos podem se postar num 5-4-1 de linhas totalmente retraídas, buscando contra-atacar usando a velocidade pelas beiradas.

Linha de 5 é uma alternativa mais extrema do Marujo (Imagem: SporTV/Premiere)

“São duas as principais deficiências da equipe e ambas estão relacionadas com o sistema defensivo: falha no jogo aéreo e espaços cedidos na marcação. As ausências de Geovane e do goleiro Marcelo Carné, suspensos, resultam numa piora de um setor já problemático”

Taynã Melo, editor da VAVEL Brasil

PARA FICAR DE OLHO

Diego Renan (LE) – Lá e cá. Um dos principais responsáveis pela transição ao ataque do CSA, o lateral-esquerdo vem apresentando bons números, tanto na fase ofensiva, como na defensiva. Além de dar 16 passes decisivos, já deu uma assistência e criou uma grande chance, sendo responsável ainda pela bola parada. É o terceiro jogador da equipe nos desarmes, totalizando 27, e o líder nas intercepções, com 32.

Gabriel (MC/MEI) – Velho conhecido. O ex-jogador do Sport é quem mais se movimenta do meio em diante, pois já conseguiu dar 46 passes decisivos na Segundona, figurando no top-5. Já colaborou sendo garçom por duas vezes e ainda não marcou gols, mas sempre aparece participando de lances no ataque.

Élton (ATA) – Artilheiro. Outro que já passou pelo Leão e pode ser uma arma. Já disputou três partidas pelo Marujo sem balançar as redes, porém vem de três temporadas positivas pelo Cuiabá, sendo contratado para solucionar os problemas de bola na rede dos alagoanos. Até agora, foram três finalizações, precisando ainda de ajuda dos companheiros.

Créditos da foto principal: Morgana Oliveira/CSA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: