Avassalador: análise Sport 4 x 0 CSA

Por: Mateus Schuler

Chegando sem avisar. Impedioso, o Sport se recuperou na Série B do Campeonato Brasileiro ao derrotar um atordoado CSA por 4 x 0 na Arena de Pernambuco. Em confronto disputado neste sábado (13), pela 24ª rodada, o Leão goleou o Azulão com gols de Sander, Giovanni, Kayke e Juba.

Surpresa. Vindo de resultado negativo, os rubro-negros foram a campo com duas substituições, a primeira delas no gol: Saulo ganhou a titularidade para Carlos Eduardo, que sequer figurou no banco de reservas após atuação ruim contra o Ituano. A outra foi forçada, pois Denner sentiu incômodo no posterior da coxa direita, tendo Giovanni em seu lugar.

Rubro-negros tiveram mudanças na escalação inicial frente aos alagoanos (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Começo intenso. Precisando vencer para se reabilitar na Série B, o Sport fez o início mostrando muita intensidade, deixando o CSA preso na defesa. Assim, criou a primeira boa chance do jogo: depois de trocar passes em velocidade, a bola chegou aos pés de Giovanni, que bateu forte de fora da área rente ao travessão dando susto.

O 4-3-3 inicial continuou inclusive nas chegadas ao campo ofensivo, usando dois meio-campistas mais adiantados e Vagner Love na referência, tendo o máximo de peças para atacar. E foi numa dessas que quase saiu à frente do placar: Ewerthon recebeu na entrada da área e chutou com muito perigo na direção da meta azulina.

Praticamente todos os jogadores passaram do círculo central (Imagem: SporTV/Premiere)

Tamanha pressão acabou tendo efeito em duas doses. Na primeira, Fabinho fez o cruzamento na pequena área, porém a zaga do Marujo afastou para a intermediária. Sem titubear, Sander emendou boa finalização e surpreendeu o goleiro Jean, marcando um belo gol. Logo depois, aproveitando uma saída errada, Vagner Love rolou para Giovanni, que dominou e acertou um balaço no ângulo.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Seguro dentro das quatro linhas, o Leão sequer foi exigido ao longo de toda a primeira etapa, marcando alto num 4-5-1 para neutralizar os ímpetos. E ficou ainda mais tranquilo quando Lourenço recebeu cartão vermelho por pisar no tornozelo de Sander. Assim, ainda saiu o terceiro tento antes até do intervalo: Giovanni deu cavadinha na medida para Kayke que, de primeira, arrematou sem deixar cair no chão e cruzado, tirando do arqueiro alagoano.

Pressão na transição ofensiva dos visitantes (Imagem: SporTV/Premiere)

Para o segundo tempo, o técnico Claudinei Oliveira não promoveu nenhuma mudança, inclusive na postura mesmo com a vantagem folgada. Buscando aproveitar a força da torcida e a ampla superioridade, o Sport continuou no ataque e ficou próximo de marcar pela quarta vez: Giovanni bateu escanteio muito fechado e Jean afastou o perigo, evitando o gol olímpico.

Com o CSA mais retraído, coube ao Leão tentar reencontrar os espaços entre as linhas adversárias. Mesmo trocando passes do meio para frente e ficando num 4-1-3-2, tendo apoio dos laterais, poucas chances foram criadas, já que a marcação ficou mais compactada e sem permitir tantas infilitrações como nos 45 minutos iniciais.

Leoninos tiveram formação de dupla ofensiva na etapa final (Imagem: SporTV/Premiere)

Com ímpeto reduzido, o comandante rubro-negro fez todas as substituições de uma vez só praticamente. Inicialmente, sacou Fabinho, Giovanni, Kayke e Sabino, promovendo Blas, Gustavo Coutinho, Wanderson e Chico. Depois, foi Vagner Love que saiu para a entrada de Ray Vanegas, o que fez permanecer a produtividade no setor ofensivo, mas tendo o time mais descansado.

Mantendo as linhas altas ao ficar sem a bola, a equipe pernambucana criou nova oportunidade para voltar a balançar a rede, porém esbarrou mais uma vez no camisa 1 azulino. Blas arriscou de fora da área e Jean se esticou todo para conseguir afastar. No fim, não teve jeito. Juba chutou e também parou no arqueiro, que espalmou e a sobra ficou para Wanderson. O camisa 77 deu passe ao prata da casa mandar foguete na entrada da pequena área e dar números finais.

Compactação defensiva do clube da Praça da Bandeira (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Rafael Bandeira/SCR

Um comentário em “Avassalador: análise Sport 4 x 0 CSA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: