Náutico na Série B: como joga taticamente o Guarani

Por: Gabryele Martins e Ivan Mota

Tabu pessoal. Sem nunca vencer o Guarani, Elano busca usar a primeira vitória pelo Náutico — sobre o CRB — como motivação para quebrar marca negativa. Partida do Timbu contra o Bugre será neste sábado (13) no Brinco de Ouro, às 18h30, válida pela 24ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Separamos tudo sobre o adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de setoristas, jogadores para ficar de olho, e muito mais do alviverde.

O TIME

Os paulistas recebem o Timba com algumas baixas. Leandro Vilela, volante e capitão do time, cumpre suspensão automática após levar o terceiro cartão amarelo e é ausência, com Richard Rios ou Rodrigo Andrade disputando pela vaga. O meia Vitinho e o atacante Nicolas Careca ainda continuam vetados pelo departamento médico, ficando sem serem opções para Mozart. Por sua vez, o zagueiro Ronaldo Alves e o meia-atacante Giovanni Augusto, voltam a ficar à disposição.

Provável formação dos campineiros frente aos alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Pior ataque da Série B ao lado do Vila Nova, o Guarani só marcou 14 gols nas 23 rodadas que disputou até o momento. Com apenas cinco desses tentos marcados jogando como mandante, o Bugre precisa melhorar a pontaria se quiser evitar o rebaixamento. O time treinado por Mozart costuma chegar ao ataque no 4-2-3-1, com Jenison no comando ofensivo, sendo auxiliado pelos pontas e um dos meias, mantendo a tática-base.

Bugre tenta vencer defesa do Criciúma com manutenção da tática inicial (Imagem: SporTV/Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Outra possibilidade é avançar no 4-3-3, com apoio dos laterais Diogo Mateus e Jamerson. Em alguns momentos, Yago, ponta que atua pela direita, recua e busca o jogo, abrindo espaço para o avanço de um dos volantes ou do meia mais armador, levando quase todos os jogadores de linha para o campo de ataque.

Apenas dupla de zaga não passa do círculo central (Imagem: SporTV/Premiere)

“O Bugre mostrou, contra o Criciúma, mudança de atitude em relação aos jogos anteriores. Mesmo fora de casa, a equipe de Mozart conseguiu imposição durante maior parte da partida, principalmente durante o primeiro tempo, usando bastante o lado esquerdo com Bruno José”

Diego Alves, repórter do globoesporte.com

COMO DEFENDE

Se ter o pior ataque da competição já é um problema grande, isso se agrava quando sua defesa é tão vazada quanto, sofrendo quase o dobro do número de gols que conseguiu fazer; são 26 em 23 rodadas. Embora o desempenho seja ruim, a defesa do Bugre vem sendo sólida e já passou sete rodadas sem ser vazada no total.

Marcação mais adiantada dos campineiros (Imagem: SporTV/Premiere)

Para estruturar a defensiva, Mozart se apoia num 4-4-2, onde as duas linhas de 4 servem como ferrolho que neutraliza o avanço adversário e os blocos se adiantam, com dois jogadores ficando no encargo para situações de contra- ataque. A alternativa é um 4-5-1 para povoar o meio, tendo linha de 5 dando maior pressão e apenas um atacante faz a pressão na saída.

Compactação dos alviverdes em fase defensiva (Imagem: SporTV/Premiere)

“Em muitos jogos ao longo do campeonato, a equipe se perdia em campo após ficar em adversidade, mas sob comando de Mozart o panorama mudou. Apesar das falhas defensivas pontuais, o time tem tido melhor postura para poder segurar os adversários”

Diego Alves, repórter do globoesporte.com

PARA FICAR DE OLHO

Kozlinski (GOL) – Paredão. O goleiro do Bugre tem trabalhado muito na Série B. Apesar da defesa do Guarani ser bastante vazada, com certeza a situação seria pior sem o arqueiro de 31 anos. Ele acumula 49 defesas, sendo 15 dessas difíceis em 20 jogos disputados, ficando ainda sete rodadas sem ter nenhum gol sofrido.

João Victor (ZAG) – Solidez. Embora seja jovem, o zagueiro de 24 anos que foi da base do Vitória e já teve passagem pelo Santa Cruz, é o destaque na defesa alviverde. Além de ter uma boa movimentação pelo lado direito, tem o jogo aéreo como principal diferencial, sendo importante no roubo de bola e no passe afinado; são 720 corretos em 18 partidas.

Giovanni Augusto (MEI) – Construtor. Recuperado de contusão, o meia de 32 anos pode ser acionado no decorrer da partida e fazer a diferença com seu bom controle de bola. Dono de um passe eficiente, é especialista na criação de jogadas, concedendo 45 oportunidades de finalização aos companheiros de equipe e deu duas assistências para gol, sendo ainda o responsável pela bola parada.

Créditos da foto principal: Thomaz Marostegan/Guarani FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: