Bala perdida: análise Tocantinópolis 1 x 0 Santa Cruz

Por: Ivan Mota

Alvo móvel. Santa Cruz jogou mal, repetiu erros de outrora e acabou derrotado pelo Tocantinópolis por 1 x 0 neste domingo (14) no Ribeirão, sendo eliminado nas oitavas de final da Série D do Campeonato Brasileiro e se despede da temporada 2022. Chico Bala marcou o único gol da partida.

Marcelo Martelotte promoveu a entrada de Chiquinho pela primeira vez no time titular para o jogo decisivo, ganhando vaga de Matheuzinho e deixando Anderson Ceará atuando como ponta. As outras novidades foram o retorno de Arthur, após suspensão, na vaga de Daniel Pereira e a entrada de Kléver, substituindo o goleiro Jefferson, lesionado.

Formação inicial dos corais para duelo decisivo no Tocantins (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Primeiro tempo bastante movimentado. O Santa Cruz teve um melhor início, criando boas chances nos primeiros minutos. Logo aos três minutos, Raphael Macena recebeu belo passe de Anderson Ceará, porém finalizou com muita força e sem direção. Os donos da casa responderam após uma boa jogada de Marcinho pela direita de ataque; Luan Bueno desviou mal o cruzamento e quase mandou contra o próprio patrimônio.

Com bom poder ofensivo, o Tricolor foi para cima no 4-2-3-1, variando muito o posicionamento dos quatro homens mais avançados. Chiquinho alternou entre meio e pontas, enquanto Hugo Cabral dividiu a referência de ataque ao lado de Raphael Macena. Assim, Chiquinho quase abriu o placar ao receber de Hugo Cabral, mas o goleiro Jefferson saiu bem e interveio.

Corais começaram pressionando no setor ofensivo (Imagem: InStat TV)

Quando não tiveram a bola, os pernambucanos se postaram em um 4-3-3 e Chiquinho ajudou na marcação, tendo Arthur responsável por cobrir subidas de Ítalo Silva. A grande chance do primeiro tempo foi do Tocantinópolis. Alan Maia mandou de cabeça na trave e, na volta, o camisa 7 tentou novamente, parando dessa vez em verdadeiro milagre do camisa 1.

Santa postado em fase defensiva (Imagem: InStat TV)

Raphael Macena ainda teria mais uma boa chance após um cruzamento de Jefferson Feijão, contudo novamente pecou na hora de concretizar. No último lance da etapa inicial, uma grande confusão aconteceu na grande área dos pernambucanos, terminando na expulsão de um zagueiro de cada lado, com Alemão e Betão deixando o gramado mais cedo.

A partida retornou em uma rotação mais lenta na segunda etapa com raras finalizações, mas com maior posse dos donos da casa. A entrada de Doni na vaga de Raphael Macena, no intervalo, fez o Mais Querido se postar no 4-4-1 na fase defensiva, tendo Chiquinho e Anderson Ceará fechando a segunda linha, enquanto Hugo Cabral ficou isolado no ataque.

Após expulsão de Alemão, pernambucanos se fecham em duas linhas de 4 (Imagem: InStat TV)

Levando perigo apenas em escanteios, a Cobra Coral teve muita dificuldade para chegar ao campo de ataque e, mesmo após realizar novas alterações, o problema não foi resolvido. A situação ficou irreversível na reta final, já que Chico Bala marcou de cabeça após bom cruzamento de Marcinho e abriu o placar. Sem forças e organização, o Tricolor não conseguiu manter a posse, vendo a partida ser administrada pelo Papagaio até o apito final.

Créditos da foto principal: Tiago Pavão/FPF-PE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: