Sport na Série B: como joga taticamente a Chapecoense

Por: Mateus Schuler

Pedra no caminho. Dona da segunda melhor campanha fora de casa, a Chapecoense surge na rota do Sport, que busca manter a esperança pelo acesso na Série B do Campeonato Brasileiro. Confronto do Leão contra o Verdão do Oeste será nesta terça-feira (23) na Ilha do Retiro, às 21h30, válido pela 26ª rodada.

Separamos tudo sobre o adversário rubro-negro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais dos alviverdes.

O TIME

Para o duelo com os leoninos, o técnico Marcelo Cabo optou por não trazer a campo muitas surpresas. Embalado pela vitória sobre o Brusque, somente a segunda como mandante da Chape, o comandante optou pela manutenção da base titular, realizando apenas uma mudança: zagueiro Léo, preservado, volta na vaga de Frazan.

Provável formação do time catarinense diante dos pernambucanos (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Ao lado de Náutico e Sport como quinto pior ataque, a Chapecoense busca melhor pontaria. Além de 21 gols marcados em 25 jogos, tem também baixo aproveitamento nas finalizações, pois tem 3,3 certas por partida, com média de 13,3 no geral; é o terceiro time que menos acertou, ficando à frente apenas de CRB e Tombense.

Construção do Verdão acontece ainda no campo de defesa (Imagem: Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Em transição ofensiva, a Chape costuma formar uma saída em 4+2, tendo os volantes recuando para auxiliar a linha defensiva, explorando a criação tanto por dentro como nas beiradas. Quando tem mais a bola, há manutenção do 4-3-3 de base, buscando usar amplitude alternada entre laterais e extremos, com os meio-campistas ajudando na armação de jogadas velozes.

Alviverdes apostam em postura reativa para levar perigo (Imagem: Premiere)

“Chapecoense explora muito a força dos laterais, pois chegam bem ao ataque. O meio-campo tem um padrão já com a cara de Marcelo Cabo, sem um meia armador fixo, mas usando três volantes que sabem sair para o jogo”

Rodrigo Goulart, repórter na Rádio Chapecó

COMO DEFENDE

Nem lá, nem cá. Com 23 gols sofridos em 25 partidas, o time catarinense tem um setor defensivo que oscilou bastante até o momento no campeonato, já que ficou 11 jogos sem ser vazado. Em contrapartida, teve 325 finalizações na direção de sua meta, sendo a sétima equipe na Segundona no quesito, com 97 certas, correspondendo a 29,85% de aproveitamento.

Blocos médio/altos dos catarinenses sem a posse (Imagem: SporTV/Premiere)

Quando estão sem a bola, os alviverdes costumam se fechar em duas linhas de 4, usando com mais frequência o 4-1-4-1 tendo apenas o centroavante na pressão da saída rival nos blocos médio/altos. Outra opção é repetir as duas linhas, porém formando um 4-4-2 e ficando compactados, buscando assim o contra-ataque veloz.

Manutenção das duas linhas de 4 com dupla mais adiantada (Imagem: Premiere)

“A Chapecoense possui uma dupla de zaga muito experiente e segura, com Léo e Victor Ramos, o que reflete diretamente nos números do sistema defensivo. Goleiro Saulo até tem passado mais segurança e o time segue apresentando evolução desde a chegada do treinaror”

Rodrigo Goulart, repórter na Rádio Chapecó

PARA FICAR DE OLHO

Victor Ramos (ZAG) – Experiente. Junto a Léo, também com experiência no futebol, forma dupla de zaga que usa a rodagem no futebol para dar certa solidez no sistema defensivo. Victor é o líder da equipe em cortes, totalizando 92, figurando ainda entre os principais jogadores da Segundona no quesito; é destaque também nos desarmes e nas interceptações.

Matheus Bianqui (VOL/MC) – Promissor. Formado no Maringá, Bianqui tem se destacado com a camisa da Chape nesta Série B, seja em fase defensiva ou ofensiva. Defendendo, lidera o time nos desarmes, com 57, e aparece no top-10 do certame. Atacando, já marcou quatro gols e é o artilheiro alviverde, tal como tem ainda média de duas finalizações por partida, pois quase sempre surge como elemento surpresa.

Willian Popp (ATA) – Esperança de gols. Recém-contratado, Popp chegou ao Verdão com histórico de passagens no futebol catarinense, pois passou por Joinville e Figueirense, se destacando principalmente no Figueira. Antes dos alviverdes, estava atuando no Muangthong United, da Tailândia, e marcou 15 gols e deu quatro assistências ao longo dos 29 duelos disputados na última temporada.

Créditos da foto principal: Tiago Meneghini/ACF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: