À deriva: análise Cruzeiro 4 x 0 Náutico

Por: Mateus Schuler

Naufragando. Cada vez mais isolado na lanterna, o Náutico sofreu nova derrota na Série B do Campeonato Brasileiro. Nesta sexta-feira (26), na Arena Independência, o algoz do Timbu foi o Cruzeiro, que goleou por 4 x 0 com gols de Edu, Eduardo Brock, Lincoln e Jajá; jogo válido pela 26ª rodada.

Surpresas. A primeira das novidades foi o sistema tático, com a volta de uma linha de 4 na defesa, já que Bruno Bispo se desligou do clube e Maurício fez a dupla de zaga ao lado de João Paulo. No meio-campo, Victor Ferraz perdeu a titularidade para Thomaz, enquanto Júlio Vitor entrou na extrema esquerda; Jean Carlos fechou a trinca do 4-2-3-1 que municiou Kieza.

Escalação inicial alvirrubros frente à Raposa (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Como esperado, o jogo começou sendo de ataque contra defesa, o que fez o Náutico ficar mais retraído. Apostando numa postura mais reativa, buscou se fechar ao máximo em seu próprio campo para impedir o Cruzeiro de chegar perigosamente, o que aconteceu em situações de bola rolando, apesar das constantes investidas não gerarem finalizações.

Formando um 4-4-2 que variou bastante o posicionamento dos blocos entre médios e médio/baixos, na tentativa de criar em contra-ataques, o Timbu foi alvo do primeiro susto. Após escanteio na pequena área, Luvannor finalizou e Bruno espalmou; a bola seguiu viva e Oliveira encheu o pé estufando a rede, mas a arbitragem impugnou por impedimento de Eduardo Brock na origem do lance.

Compactação alvirrubra sem a posse (Imagem: SporTV/Premiere)

Não demorou muito e um novo grande momento dos cruzeirenses assustou os pernambucanos. Bidu fez boa jogada pela esquerda e encontrou Edu livre entrando na pequena área; o camisa 99 chutou forte e acertou o travessão. Em seguida, não deu jeito. Zé Ivaldo levantou com perfeição e o centroavante cabeceou como no manual para abrir vantagem.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Mesmo em desvantagem e sofrendo pressão, o Timba não se acomodou no duelo e tentou mostrar que estava vivo. Performando seu próprio 4-2-3-1 de base e apoiado pelos laterais, conseguiu criar uma única boa oportunidade durante a etapa inicial: depois de boa troca de passes, Jean Carlos passou para Thomaz dominar e arrematar rente à trave esquerda. Nos acréscimos, Souza ainda cobrou falta de longe, a bola quicou e Rafael Cabral cortou para escanteio.

Manutenção da tática-base com auxílio pelos lados (Imagem: SporTV/Premiere)

Na volta do segundo tempo, Dado Cavalcanti optou por não realizar mexidas nas peças, porém pediu mais tranquilidade à equipe ao trabalhar a posse de bola. Inicialmente, a postura do início da primeira etapa foi mantida, fazendo os mineiros povoarem mais do meio em diante. Assim, o treinador promoveu as duas primeiras substituições, tentando atacar com maior volume: saíram Thomaz e Júlio Vitor, dando vaga a Victor Ferraz e Everton, respectivamente.

Dessa maneira, a equipe da Rosa e Silva passou a fechar os espaços para os ímpetos dos anfitriões num 4-5-1, tendo o meio-campo cheio para controlar o ritmo. E foi fazendo uma marcação mais alta que o empate quase saiu. Em desarme já no campo de ataque, Kieza serviu Souza que, na entrada da área, limpou para a esquerda e chutou; Brock desviou pela linha de fundo.

Alvirrubros tentaram segurar ímpetos cruzeirenses (Imagem: SporTV/Premiere)

Se as investidas pareciam impedidas em lances trabalhados, a bola parada virou um castigo para o Timbu. Wesley Gasolina levantou escanteio no meio da pequena área, a defesa não afastou e Zé Ivaldo encostou para Eduardo Brock completar, testando para tirar do alcance de Bruno. Duro golpe ao time pernambucano.

E o que estava complicado, piorou com a expulsão de João Paulo por deixar o braço em Luvannor. Pouco depois, a arbitragem marcou pênalti a favor dos anfitriões quando Geovane Jesus tentou cruzar e foi assinalada – erradamente – mão de João Lucas; Lincoln bateu seguro e fez o terceiro. As últimas investidas saíram num 4-3-2, que tiveram as ligações diretas como alternativa, ocasionando ainda no quarto tento: Daniel Júnior aproveitou a saída errada e abriu na direita para Jajá, que dominou e acertou belo chute para fechar o caixão.

Timba mostrou pouca criatividade no segundo tempo (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: