Náutico na Série B: como joga taticamente o Ituano

Por: Gabryele Martins

Túnel do tempo. O Náutico reencontra o Ituano nos Aflitos, após 16 anos, pela Série B do Campeonato Brasileiro. Em momento conturbado, o Timbu encara o Galo na abertura da 28ª rodada tentando respirar por aparelhos contra o rebaixamento, às 19h.

Separamos tudo sobre o adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Galo.

O TIME

Para a partida contra o Timba, Carlos Pimentel deverá montar seu time no 4-3-3, tendo dois zagueiros e dois laterais formando a primeira linha, três meio-campistas e três homens mais à frente. O treinador contará com o retorno de Caíque, que havia sido poupado no último jogo por um desgaste muscular, figura como opção no lugar de Rafael Pereira, suspenso após levar o terceiro cartão amarelo; pelo meio, Kaio deve ser opção.

Provável escalação dos rubro-negros contra os alvirrubros (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Líder do returno, com 17 pontos somados de 24 possíveis, o Ituano é o sétimo maior finalizador desta Série B. Nos 27 jogos disputados, o Galo já contabiliza 330 finalizações, sendo 120 no alvo, uma média de 4,44 por jogo. Esse volume de criação se reflete na efetividade do sistema ofensivo, que marcou 29 gols nesta Segundona. Desde a saída do artilheiro Rafael Elias, para o Baniyas, dos Emirados Árabes Unidos, o ataque parece não ter se reencontrado sem o seu homem de referência.

Manutenção da tática-base durante a fase ofensiva (Imagem: SporTV/Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Em sua fase ofensiva, costuma atuar no 4-3-3 de base, tendo um dos meio-campistas à frente da linha de 4, dois mais centralizados e distribuindo para os três atacantes, sendo um deles na referência. Outra opção do rubro-negro de Itu é fazer uma variação ao 4-2-3-1, onde os volantes ficam numa postura mais defensiva e os extremos têm apoio dos laterais para dar amplitude.

Ataque do Galo de Itu com trinca atrás do centroavante (Imagem: Premiere)

“O principal problema do Ituano nesta Série B é na ligação da defesa ao ataque. Gerson Magrão era titular, perdeu espaço e já recuperou a vaga. A criação do time, com ou sem ele, é algo que precisa ser corrigido, por conta da baixa produtividade do setor”

Renato Alves, repórter da Rádio Cidade FM

COMO DEFENDE

No setor defensivo, o Galo mostra inconsistências e, nas 27 rodadas jogadas, levou 25 gols, uma média de 0,93. O maior problema do time foi pela lateral direita, setor obrigado a conviver com rodízio de peças devido a lesões, o que dificultou no entrosamento, mas que segue buscando a consolidação. Uma característica importante dos defensores rubro-negros é que todos eles têm participações em gols, sendo utilizados em jogadas de bola parada.

Defesa compactada em duas linhas de 4 (Imagem: Premiere)

Quando perdem a bola, se postam defensivamente estruturados num 4-4-2, com uma equipe mais compactada e fechando os espaços, povoando bem o meio de campo. O time também pode variar para o 4-5-1, mantendo suas linhas recuadas e blocos médios, exercendo uma marcação alta, que podem se apoiar em situações de contra-ataque facilitando a fluidez da transição.

Tentativa de fechar mais espaços para infiltrações (Imagem: SporTV/Premiere)

“O sistema defensivo vem passando muita segurança, tanto que sofreu poucas alterações ao longo de todo o campeonato. A dupla de zaga vem mostrando consistência, encaixada com a cabeça de área, deixando inclusive a defesa ficar sem sair vazada por três jogos seguidos”

Renato Alves, repórter da Rádio Cidade FM

PARA FICAR DE OLHO

Jefferson Paulino (GOL) – Confiança. O arqueiro de 25 anos, que chegou da Ferroviária por empréstimo agora em agosto, jogou apenas cinco jogos com a camisa do time de Itu, o suficiente para demonstrar bom posicionamento e segurança na meta. O goleiro passou três rodadas sem sofrer gols e tem nove defesas, incluindo chutes de longa distância, sendo sete difíceis.

Mário Sérgio (LE) – Peça-chave. O atleta de 28 anos foi contratado pelo Galo em 2021 e tem sido peça estratégica para construção das jogadas ofensivas. Com toque de bola afinado, já deu três assistências, além de 18 passes para finalizações e 29 cruzamentos certos na área nos 20 jogos que atuou. Por sua vez, a equipe ficou seis jogos sem ser vazada na sua presença.

Kaio (MEI) – Toque de qualidade. Cria do Grêmio, o jogador veio emprestado pelo Paraná e, na Segundona, tem um toque de bola preciso, com 84,83% de acertos por partida. Participou de 23 jogos na competição, se movimentando bem pelo lado direito do campo, já contabilizando 32 cruzamentos certos e 21 finalizações totais, sendo nove na direção da meta. Nesta temporada, possui cinco gols e três assistências.

Créditos da foto principal: Flávio Torres/Ituano FC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: