Nos trilhos: análise Jaguar 0 x 1 Ferroviário do Cabo

Por: Mateus Schuler

Caminho certo. Sem descarrilhar no confronto de estreia da Série A-2 do Campeonato Pernambucano, o Ferroviário do Cabo mostrou mais eficiência e venceu o Jaguar por 1 x 0. Nesta quarta-feira (14), finalizando a 1ª rodada do Grupo D da Segundona, o Trinca-Ferro levou a melhor com gol de Igor Moura.

Sem nunca ter empolgado na história da competição, a equipe de Jaboatão dos Guararapes apostou nas peneiras para formar seu elenco, com o técnico Dedeco Recife, que já passou em outros clubes. Os tricolores, por outro lado, optaram por algo tradicional para formar seu 4-3-3: mesclaram juventude e experiência sob o comando do novato Breno Gadelha.

Escalação inicial de azulinos e tricolores (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

O histórico dos times na Segundona foi o maior diferencial dentro de campo no início do confronto. Mostrando maior volume de jogo, o Ferroviário impôs o ritmo ofensivo diante do Jaguar, mas não era efetivo na criação, pecando no último terço e criando poucas jogadas, sem conseguir assustar quando teve a bola.

Com bastante insistência e boa movimentação do meio para frente, alternou entre o 4-3-3 de base e o 4-2-3-1, tentando encontrar espaços na defesa da equipe jaboatonense. Até balançaram as redes quando Zé Paulo fez a tabela com Rosivaldo, ao receber de Diego Recife, porém o centroavante do Trinca-Ferro estava impedido.

Imposição pouco criativa do tricolor do Cabo (Imagem: TV FPF)

Se trabalhando as jogadas o Ferrim não demonstrou poder criativo, foi a bola parada que surgiu como alternativa, já que os azulinos formaram um 4-5-1 e bloquearam bem as investidas. Em lance ensaiado, Diego Recife levantou na pequena área, a defesa não subiu e Felipe Ramos cabeceou, contudo parou no goleiro Neri.

Na volta para a etapa final, os técnicos optaram por não promover nenhuma substituição, deixando a partida sem muitas emoções. Ainda assim, foram os visitantes que buscaram renovar o fôlego do setor ofensivo para voltar a ter a superioridade em campo: Rosivaldo saiu para a entrada de Elthy, repetindo a proposta de Breno Gadelha.

Compactação defensiva do Arsenal do Litoral (Imagem: TV FPF)

Apresentando cansaço quando impediram as investidas, os donos da casa também realizaram sua primeira modificação: Paulo saiu para a entrada de Raul. Mesmo com as mudanças, o equilíbrio foi tomando conta do duelo e o Jaguar passando a se fazer cada vez mais presente ao ataque, embora não tivesse poder criativo.

E foi atacando em maior intensidade que os jaboatonenses quase saíram à frente. Depois de boa jogada pela direita, Pedro tabelou com Elber e finalizou à meia-altura, parando na trave. Pouco depois, o duro golpe. Guilherme Leal se desvencilhou da marcação e bateu cruzado, porém o arqueiro adversário não encaixou; Igor Moura, que acabara de entrar no lugar de Telo, completou tocando para o fundo do barbante, dando o triunfo ao Trinca-Ferro.

Composição defensiva dos tricolores (Imagem: TV FPF)

Créditos da foto principal: Ascom/FPF

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: