Náutico na Série B: como joga taticamente o Vasco

Por: Gabryele Martins

Plano cruzado. O Náutico tem um duelo complicado, ao visitar o Vasco, para se estabilizar na luta contra o rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro. Confronto do Timbu com o Cruzmaltino será nesta sexta-feira (16), às 19h, em São Januário pela 30ª rodada da Segundona.

Separamos tudo sobre o adversário alvirrubro: principais posicionamentos táticos, estilo de jogo, números, informações exclusivas de um setorista, jogadores para ficar de olho, e muito mais do Gigante da Colina.

O TIME

No duelo contra o Timba, Jorginho fará seu segundo jogo como comandante do Vasco. A equipe alvinegra ainda não perdeu em São Januário e tem uma campanha forte como mandante. Sem desfalques para a partida, o técnico deve manter a escalação do jogo diante do Grêmio, com a possibilidade de mexer no ataque, mesmo precisando resolver os problemas defensivos que assombram no returno.

Provável formação inicial dos alvinegros cariocas (Feito no Tactical Pad)

COMO ATACA

Sexto melhor ataque da Série B, o Vasco tem média de 1,07 gols por partida e já marcou 31 vezes nas 29 rodadas da Segundona. Porém, apesar de marcar consideravelmente, o time finaliza mal e precisa arrumar a mira, pois acertou apenas 110 chutes nesta Segundona e acumula 202 finalizações erradas, que representa 64,74%.

Saída de bola com apoio dos volantes (Imagem: SporTV/Premiere)

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Ainda se ajustando ao estilo de Jorginho, a equipe gosta de ter a bola no pé e, nessas condições, sai no jogo apoiado formando um 4+2, sustentando as saídas com os volantes. Já em fase ofensiva, se baseia no 4-3-3 para poder estruturar as jogadas, tendo três jogadores fazendo a transição e outros três mais adiantados, onde dois caem pelas pontas e um centroavante.

Meio-campistas ajudam trio de ataque na criação de jogadas (Imagem: Premiere)

“O ataque do Vasco passa pelo Andrey, promessa que acabou de renovar e tem muita qualidade, e pela experiência de Nenê. Andrey vem jogando como gente grande e sem sentir o peso da camisa, assim como outros criados na base, como Marlon Gomes e Eguinaldo, que deram oxigenada no time e poderão ser os trunfos do Vasco”

Matheus Guimarães, repórter no portal Lance!

COMO DEFENDE

Atual quarto colocado da Segundona, o Gigante da Colina sofreu 24 gols em 29 rodadas, o que dá média próxima a 0,8 por jogo. A situação do alvinegro, no entanto, mudou drasticamente desde o returno, e a defesa sólida que era maior exemplo de compactação no primeiro turno, agora está entre as mais vazadas da competição; nas últimas 10 partidas, foram 13 tentos.

Defesa vascaína estruturada no 4-1-4-1 (Imagem: Premiere)

A fase defensiva é marcada pela presença de duas linhas de 4 e o sistema é variado conforme o adversário se poste. No 4-1-4-1, o time tem um volante e o centroavante cumprindo suas funções e recebem apoio das linhas de 4, o que faz o atacante marcar alto a saída de bola. Já no mais tradicional 4-4-2, mantendo as linhas, fecham os espaços e impedem infiltração adversária no seu campo de defesa, mesmo tendo duas peças mais adiantadas.

Maior compactação do Cruzmaltino ao ficar sem a posse (Imagem: SporTV/Premiere)

“O ponto fraco do time. Desde que Zé Ricardo pediu demissão, o Vasco perdeu toda a consistência defensiva. Na época, era uma das defesas menos vazadas da Série B; hoje, é uma das mais vazadas no returno. A ansiedade pelo acesso atrapalha, pois maior parte dos planos para o próximo ano são contando com o time na Série A”

Matheus Guimarães, repórter no portal Lance!

PARA FICAR DE OLHO

Yuri (VOL) – Toca e desarma. Vindo do CSA no início do ano, o jogador de 28 anos é o maior ladrão de bolas da competição, pois fez 73 desarmes nos 26 jogos que atuou. Além disso, toca a bola com qualidade muitas vezes, o que resulta em 638 passes certos, correspondendo a 89,23% do total; volante tem ainda uma assistência.

Nenê (MEI) – Criador. O experiente jogador de 41 anos é peça-chave no setor de criação vascaíno. Em 24 jogos na Segundona, tem sete assistências e 46 grandes chances criadas. Na atual temporada, acumula nove passes diretos para gol e já marcou por 10 vezes, sendo cinco apenas durante a competição nacional.

Raniel (ATA) – Artilheiro. Recifense e velho conhecido dos pernambucanos, o camisa 9 é o goleador do Cruzmaltino no campeonato. Dos 15 gols marcados nesta temporada, oito foram na Série B e, além disso, é também o jogador de mais finalizações; foram 43 finalizações no total ao longo dos 25 partidas que atuou.

Créditos da foto principal: Daniel Ramalho/CRVG

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: