Luz fraca: análise Náutico 1 x 3 Sampaio Corrêa

Por: Gabryele Martins

Sem energia. Lanterna isolado, o Náutico vê o rebaixamento na Série B do Campeonato Brasileiro cada vez mais próximo. Nesta sexta-feira (23), o Timbu não mostrou forças nos Aflitos e perdeu para o Sampaio Corrêa por 3×1, pela 31ª rodada, com gol de Júlio; Poveda, Rafael Costa e Nadson viraram.

Sem surpresas. Após derrota para o Vasco, a equipe de Dado Cavalcanti foi a campo um pouco diferente. Na zaga, Arthur Henrique voltou de lesão e teve a vaga como titular, já o lateral-esquerdo João Lucas e o volante Franco foram acionados depois de suspensão. Júlio assumiu a função de centroavante no lugar de Geuvânio, que sentiu a coxa direita no treinamento, deixando Kieza entre os reservas.

Escalação inicial do Timba frente ao tricolor maranhense (Feito no Tactical Pad)

COMO FOI

Pressionado por ocupar a lanterna da Série B, o Timbu entrou propondo jogo e marcando forte a Bolívia Querida. Com maior volume ofensivo, o alvirrubro se postou no 4-3-3, tendo uma linha de três no meio-campo, composta por Souza mais centralizado, Franco pela direita e Thomaz na esquerda. O trio de ataque tinha Júlio como centroavante, Everton Brito ocupando o lado direito e Jean Carlos o esquerdo.

O camisa 10 tinha liberdade para sair da ponta e armar o jogo pelo meio e, nestas situações, Thomaz ficou encarregado de preencher o lado esquerdo ofensivo transformando a formação inicial num 4-2-3-1. O Timba conseguiu abrir o placar logo aos cinco minutos, quando Júlio recebeu a bola, acionou João Lucas na lateral e correu para área a tempo de cabecear para o fundo da rede.

Construção ofensiva na manutenção da tática-base (Imagem: SporTV/Premiere)

Após o gol, a equipe recifense foi esfriando gradativamente e as tentativas de chegar ao ataque se tornaram falhas. Desperdiçando algumas chances, o alvirrubro não levou perigo à meta adversária e viu seu oponente melhorar o rendimento. Sem a bola, o Timba apostou num 4-4-2, povoando o meio de campo e tentando evitar a ultrapassagem em velocidade dos tricolores.

Curtindo o conteúdo? Apoie nosso projeto clicando aqui ou via pix. Chave: pernambutatico@gmail.com

Passados 35 minutos da etapa inicial, porém, Eloir lançou na cabeça de Ygor Catatau, que deixou para Poveda igualar o marcador nos Aflitos. O empate veio no espaço de tempo que o Sampaio Corrêa estava melhor na partida; o Tubarão ainda chegou com perigo duas vezes, desarmando os anfitriões já no fim do primeiro tempo.

Formação de duas linhas de 4 durante a fase defensiva (Imagem: SporTV/Premiere)

Voltando do intervalo e tentando solucionar os problemas de intensidade e precisão, Dado Cavalcanti sacou o pouco acionado Everton e colocou Pedro Vitor, que logo respondeu criando uma boa chance pelo lado direito. A outra substituição foi a de Thomaz, que deu lugar a Luís Felipe, recuperando fôlego no meio.

As alterações fizeram efeito e o Náutico começou a segunda etapa superior à primeira e logo aos 10 minutos o arqueiro adversário teve que trabalhar em chute fraco de Franco. O Sampaio respondeu imediatamente num arremate de longe, de Ygor Catatau, mas sem assustar. A partida esquentou quando o time pernambucano, precisando do resultado, deu espaço e teve início um lá e cá, e muitas chances de gol.

Alteração ao 4-3-3 dos alvirrubros com a posse (Imagem: SporTV/Premiere)

Na metade dos 45 minutos finais, outras duas substituições foram feitas na equipe dos Aflitos. Trocando um atacante por outro, Kieza entrou na vaga de Júlio, enquanto Franco foi sacado para a entrada de Jobson. Sem novidades técnica e tática, o Timba passou a atacar no 4-3-3 e levou perigo com Pedro Vitor e João Lucas.

A entrada de Pimentinha deixou o Tubarão mais criativo e forçou o alvirrubro a se fechar defensivamente no 4-5-1. Sem sucesso. Com o jogo chegando ao fim, Ygor Catatau tentou duas vezes para servir Rafael Costa, que aproveitou e fez a virada. Após o gol, Souza saiu e Luís Phelipe entrou, insuficiente para a reação, dando tempo ainda dos maranhenses fazerem o terceiro. No contra-ataque, Pimentinha arrancou e serviu Nadson, que tirou do goleiro e estufou o barbante.

Compactação defensiva dos pernambucanos na segunda metade (Imagem: SporTV/Premiere)

Créditos da foto principal: Tiago Caldas/CNC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: