Chuva de alegria: análise Vila Nova 0 x 1 Sport

Por: Ivan Mota Para ficar na história. Em jogo dramático e marcado por forte chuva na capital goiana, o Sport derrotou o Vila Nova por 1 x 0 e, na última rodada do Série B do Campeonato Brasileiro de 2011, garantiu seu acesso. Há exatos 10 anos, o Serra Dourada se tornava a Ilha doContinuar lendo “Chuva de alegria: análise Vila Nova 0 x 1 Sport”

Acesso em letras garrafais: análise Náutico 2 x 0 Ituano 2006

Por: Felipe Holanda Enorme. O Náutico vencia o Ituano há exatos 15 anos, fazia jus a cidade do adversário, e conquistava acesso gigantesco à Série A do Campeonato Brasileiro após 12 anos longe da elite. Nos Aflitos, o Timbu fez 2 x 0 sobre o Galo de Itu – Capixaba e Felipe balançaram as redes.Continuar lendo “Acesso em letras garrafais: análise Náutico 2 x 0 Ituano 2006”

Zé do Carmo, o eterno maestro coral

Por: Felipe Holanda Sintonia fina. De origem humilde a vencedor, Zé do Carmo é a síntese da história do Santa Cruz. O craque, que completa 60 anos neste domingo (22), foi multicampeão pela Cobra Coral, sendo quatro pernambucanos – 1983, 1986, 1993 e 1995 – e é tido como uma das maiores revelações do clubeContinuar lendo “Zé do Carmo, o eterno maestro coral”

O terror do Nordeste: análise Campinense 1 x 1 Santa Cruz

Por: Felipe Holanda O dia em que o querido do povo foi terror do Nordeste. Há cinco anos, o Santa Cruz vencia o Campinense no agregado e erguia a taça da Copa do Nordeste. Empate em 1 x 1 em Campina Grande, após vitória no Arruda, rendeu o título aos corais. O técnico Milton MendesContinuar lendo “O terror do Nordeste: análise Campinense 1 x 1 Santa Cruz”

Da união de quatro letras mágicas: Kuki 50 anos

Por: Felipe Holanda Kuki, Hexa, Bita, Bizu… A história do Náutico sempre esteve marcada pela união de quatro letras mágicas. Ídolo inquestionável na Rosa e Silva dentro e fora de campo, o baixinho é artilheiro do futebol pernambucano no Século e até hoje dá sua contribuição ao Timbu. O Pernambutático ouviu o próprio Kuki, queContinuar lendo “Da união de quatro letras mágicas: Kuki 50 anos”